Globalismo: Toffoli cria comitê para adequação do Judiciário à Agenda 2030

O Ministro do STF, Dias Toffoli, coordenará um comitê para implementar a submissão do poder judiciário brasileiro às metas internacionais da ONU. Por meio de oficio circular do dia 29 de março, o Ministro institui o “Comitê Interinstitucional destinado a proceder estudos e apresentar proposta de integração das metas do Poder Judiciário com as metas e indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Agenda 2030”.

O Ministro já havia inserido os pontos dos ODS no Judiciário, mas a atual circular demonstra ir além das parcerias já feitas. A publicação ocorreu internamente, nos órgãos do Judiciário, e promete adaptar ainda mais a estrutura jurídica às normas vindas de fora do Brasil.

Um dos pontos aparentemente inócuos das ações pedidas pelos ODS é a prestação de contas, com preocupação com a “transparência”, de modo a facilitar planejamentos mais efetivos para a administração e, neste caso, para a estrutura jurídica. Na prática, trata-se de uma prestação de contas que os países são constrangidos a fornecer para os órgãos internacionais que, ao fim, proporão soluções para os nossos problemas, baseadas no que considera as “boas práticas”.

Baixe na íntegra a circular interna do Ministro aos órgãos do Judiciário.

Agenda globalista avança em governo conservador

A Agenda 2030 possui diversos pontos polêmicos para os conservadores, como educação sexual, promoção de direitos sexuais e reprodutivos (aborto), além de propor um aumento substancial e perigoso do controle global sobre diversos aspectos da vida das pessoas.

Além do Judiciário, o poder dessa agenda internacional tem avançado no Brasil por meio de uma atuação silenciosa, desenvolvendo-se mesmo quando o país é governado por uma agenda conservadora e patriótica, que aparentemente nada pode fazer contra o trabalho de formiguinha espalhado pelo país. Os planos plurianuais, dos estados e municípios, já respondem à agenda da submissão internacional por meio de parceria com a Petrobrás.

Ao comitê coordenado por Toffoli, “compete elaborar relatório preliminar que identifique as bases de dados e as informações existentes para o acompanhamento das metas e dos indicadores dos ODS, Agenda 2030, que estejam relacionados à Estratégia Nacional do Poder Judiciário”.

8 thoughts on “Globalismo: Toffoli cria comitê para adequação do Judiciário à Agenda 2030

  1. Qual a novidade? Toffoli é um bosta. Ou o povo acaba com o STF ou esses soretes togados acabam com o Brasil. Esse é o foco.

  2. Temos que tirar essas pessoas que entraram pela porta dos fundos no MPF não temos mais como aceitar tanta idiotia dos aliados do PT e seus puxadinhos. Acabou galara do mal , acabou estudem para passar em outro concurso , vá trabalhar….

  3. Neste país se investiga ladrao de galinha, políticos corruptos e velhinhas que tentam fraudar o Inss. Quando começarão a investigar poderosos do STF? Afinal, todos são iguais, ou já rasgaram a CF?????

  4. Ativismo judicial é crime contra o Estado Democrático de Direito!! Até quando vamos aturar esses ministros militantes do STF cagando regra para a Nação??!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *