Palocci diz que Odebrecht repassou 300 milhões para Lula

Foto: reprodução.

Em depoimento na CPI do BNDES, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci afirmou que a construtora Odebrecht teria repassado 300 milhões de reais para o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, com objetivo de garantir o favorecimento dos negócios da empresa junto ao governo federal. Esse valor teria sido repassado no final do mantado do ex-presidente.

O favorecimento do governo federal à empresa se daria por meio de empréstimos do BNDES, e a contrapartida da empresa seriam recursos para campanhas majoritárias e proporcionais de candidatos petistas. O relator da delação premiada de Palocci no Supremo, ministro Edson Fachin, autorizou que o ex-petista falasse à CPI somente sobre assuntos relacionados ao BNDES, por isso, ficam de fora possíveis relações com a JBS.

Segundo destaca O Globo, parlamentares presentes na audiência de depoimento da CPI do BNDES afirmaram que Palocci diz ter sugerido a Lula para fazer um mea culpa pelos erros cometidos, mas o ex-presidente teria se negado e apostado no fim da Operação Lava Jato. A afirmação surge logo após sucessivos ataques contra a Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro, incluindo ataques por meio da obtenção de conteúdo de forma criminosa dos celulares do ex-juiz e procuradores do Ministério Público, bem como, a manipulação dos supostos conteúdos obtidos por hacker, no sentido de questionar a legitimidade de julgamentos de crimes originados na Operação Lava Jato.

Questionado pelo O Globo, a defesa do ex-presidente afirmou que não vai se posicionar sobre um “suposto depoimento secreto” e que “Palocci faz acusações sem provas contra lula, atuando como instrumento de perseguição política”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *