Olavo de Carvalho para Moro: “ministro, o senhor não tem que dar satisfações a bandidos”

Em vídeo publicado na tarde dessa quarta (3), o filósofo Olavo de Carvalho dirigiu-se exclusivamente ao ministro Sérgio Moro. A intenção de Olavo foi aconselhar o juiz sobre como ele pode se livrar dos parlamentares da oposição – PT et caterva –, reconhecidamente ligados à bandidagem política do país, que vêm fazendo forte pressão sobre Moro depois dos vazamentos do The Intercept Brasil.

Em vista disso, Olavo sugeriu que Moro investigue, com maior detimento, o envolvimento dos partidos da oposição com o Foro de São Paulo, grupo que reúne organizações de esquerda revolucionária latino-americanas para alinhar estratégias e assentar resoluções com implicações política, culturais e econômicas, nos diversos países do continente. A ideia do filósofo, amparado na lei eleitoral, é que, antes de mais nada, os partidos filiados ao Foro de São Paulo estão, automaticamente, na ilegalidade já que nossa legislação veta a subordinação dos partidos políticos à organizações internacionais. O artigo  da lei dos partidos diz o seguinte: “A ação do partido tem caráter nacional e é exercida de acordo com seu estatuto e programa, sem subordinação a entidades ou governos estrangeiros”.

O argumento de Olavo é que, uma vez que as resoluções do Foro de São Paulo geram compromissos registrados em atas assinadas pelos participantes ao final de cada assembleia, há, aí, uma clara subordinação dos partidos filiados aos interesses da organização – que é internacional. Portanto, segundo Olavo, com base nessa lei, PT, PDT, PSB e PCdoB, todos filiados ao Foro de São Paulo, segundo informação da própria organização em seu site oficial, deveriam ser fechados e seus membros ter seus direitos políticos cassados.

Ademais, ainda sobre o Foro de São Paulo, Olavo sugere que Moro investigue as origens do dinheiro que mantém a organização. Segundo o escritor, as atividades do Foro, que além dos encontros anuais têm grupos de trabalhos quinzenais nas várias capitais do continente, custam muito caro e é necessário, portanto, descobrir quem o patrocina. E Olavo dá a dica lembrando o fato de que as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), que detém o quase monopólio do tráfico de drogas e armas no continente é membro permanente do Foro fato que enquadra, de pronto, a organização fundada por Lula e Fidel como criminosa.

Depois dos conselhos, Olavo encerra o vídeo dizendo:

“Ninguém vai investigar isso, ministro? É só o senhor fazer isso que esse pessoal todo cala a boca e pára de encher o saco”. 

 

 

2 thoughts on “Olavo de Carvalho para Moro: “ministro, o senhor não tem que dar satisfações a bandidos”

  1. Esse #OLAVO é mesmo um gênio
    ESSE# OLAVO tem razão essa OCRIM,
    PT, PDT, PSB e PCdoB,PSOL, PP, DEM, PR e PSC.,têm que ser extinta culminando na condenação de seus líderes e filiados.

  2. Moro, que tal investigar o Foro de São Paulo? – (Alerta Total – 04/07/2019)

    Quem, por acaso, ainda não conhece a fundo o Foro de São Paulo, deve ler o livro de Graça Salgueiro – “O Foro de São Paulo, A mais perigosa organização revolucionária das Américas” (Observatório Latino, 2016, 216 páginas). O FSP não é um mero fórum político esquerdista. É uma organização criminosa transnacional. O Brasil não pode ficar refém de bandidos que misturam ideologia e corrupção para conquistar o poder.

    Atenção, Sérgio Moro: centenas de parlamentares que operam o Crime Institucionalizado no Brasil são ativistas do Foro de São Paulo. Por isso, o combate verdadeiro às organizações criminosas depende, diretamente, do enfrentamento e neutralização do Foro de São Paulo. Ficar restrito ao campo do mero debate político-ideológico é jogar o jogo do inimigo criminoso. Eliminar o Foro de São Paulo deve ser prioridade estratégica do Governo Jair Bolsonaro.

    Repelir o agressor é dever moral de quem está sendo agredido. PT, saudações!

    https://www.alertatotal.net/2019/07/moro-que-tal-investigar-o-foro-de-sao.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *