O esquerdista radical Paulo Henrique Amorim será afastado do Domingo Espetacular

Na noite dessa segunda-feira (24), o jornalista Paulo Henrique Amorim foi informado que não permanecerá apresentando o Domingo Espetacular, programa que ele comandou nos últimos 14 anos na TV Record.

Por ser reconhecidamente um militante de extrema-esquerda, havia um importante movimento nas redes sociais de apoiadores de Bolsonaro, e de simpatizantes de ideias mais à direita em geral, para que o Amorim fosse afastado da emissora. E essa ideia ganhou ainda mais força quando a Record, junto com o SBT, alcançou o status de canal de diálogo entre o governo e a sociedade – prerrogativa da Globo nos governos anteriores.

Porém, na contramão de sua emissora, Amorim seguiu fazendo um forte proselitismo extremo-esquerdista em seu blog Conversa Afiada e em outros canais da internet.

A última grande polêmica de Amorim nas redes – talvez a gota d’água – se deu quando o jornalista afirmou que havia, certamente, “um serviço de espionagem norte-americana por detrás do ministro Sérgio Moro” e que o juiz é um “analfabeto”.

Em nota, a Record confirmou o afastamento de Amorim da atração dominical, mas descartou a demissão. Amorim tem contrato até 2021 e seguirá à disposição do canal de Edir Macedo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *