Brasil exclui a palavra “gênero” e promove a família em candidatura na ONU

A diplomacia do governo brasileiro excluiu todas as menções à palavra 'gênero' ao apresentar a candidatura do Brasil para a reeleição no Conselho de Direitos Humanos da ONU, para o triênio de 2020 a 2022. Além disso, a promoção da família, que não era citada em governos anteriores, é mencionada nove vezes. “O governo defende o fortalecimento dos vínculos familiares, sob o enfoque dos direitos huma...


Você não está autorizado para acessar esta página.

Conteúdo exclusivo para assinantes Estudos Nacionais.

Tenha acesso ilimitado e colabore com a mídia alternativa. Clique aqui e assine por apenas R$ 14,90 ao mês ou faça login abaixo se você já é assinante: