Gabinete de Miranda poderá ser central de espionagem internacional

Fachada do Congresso Nacional.

Fachada do Congresso Nacional. Foto: Ana Volpe/agência senado)

O que representam Glenn Greenwald, The Intercept e David Miranda no Congresso Nacional?

Com a renúncia de Jean Wyllys e a entrada de David Miranda, companheiro de Glenn Greennwald, é necessário conhecermos quem está por trás do “The Intercept“. Afinal, é notório o poder que gozará o deputado PSOLista David Miranda na mídia local e internacional, devido ao fato de ele ser companheiro do editor do The Intercept. O veículo sempre foi plataforma de investigações como a de Snowden, que apresentavam dados confidenciais de governos e alvo de investigações pela Scotland Yard e MI6.

The Intercept

O veículo foi criado graças a doação de 50 milhões de dólares da First Look Media, uma organização criada pelo fundador do eBay, Pierre Omidyard. Aparentemente, o the Intercept foi criado para transmitir o documentário de Edward Snowden, em 2014. Em 2016, o The Intercept Brasil foi criado sendo o único país a ter uma versão especial do veículo.

First Look Media

A empresa criada por Pierre Omidyard atua no ramo de serviços tecnologia, de onde obtém lucro, e no campo do jornalismo, de onde não busca obter lucros.

Pierre Morad Omidyard

O bilionário Pierre Omidyard nasceu em Paris e é filho de pais Iranianos que migraram para França para estudar. Foi para os EUA por conta da mudança do família, já que seu pai atuava como médico urologista para a Universidade Johns Hopkins.

Pierre Omidyard foi o fundador eBAY e trabalhou a frente da organização entre 1998 e 2015. De acordo com a Forbes, em fevereiro de 2018 sua fortuna era de 10,9 bilhões de dólares. Em 2004, Pierre e sua esposa criaram a Omidyard Network, uma organização sem fins lucrativos dedicada a filantropia.

Omidyard Network

Conforme investigação divulgada pela Revista Estudos Nacionais (versão impressa, ed. “Fake news”), a Omidyard foi uma das patrocinadoras da rede internacional de Fact Checking (IFCN – International Fact-Checking Network), juntamente com a National Endowment for Democracy.

A criação do IFCN tornou-se conhecida em 2015 quando o Facebook anunciou a integração com a plataforma, nos EUA. No Brasil, em março de 2018 o Estudos Nacionais trazia um completo diagnóstico da estrutura que seria utilizada para enfrentar “fake news” nas eleições por meio do IFCN. Pouco tempo depois, entre abril e maio de 2018, o Facebook no Brasil alertava seus usuários de que utilizaria esse recurso em parceria com agências de “checagem de fato” [tradicionalmente de esquerda], podendo vir a excluir postagens caso fossem classificadas como fake news, ou então, penalizar páginas e perfis reduzindo seu alcance. A principal parceira do Facebook para fact checking, naquele momento,  era a Agência Lupa, que faz parte da Folha de São Paulo. Segundo informações de bastidores apresentada em um podcast da Revista Piauí, a Folha buscaria nas eleições de 2018 fazer de tudo para acabar com Bolsonaro, “fingindo fazer jornalismo” (sic).

A fundação Omidyard recebeu em 2016, doação de 1,3 milhão de dólares da Open Society, para o projeto de checagem de fatos (IFCN).

Forças globalistas e soviéticas

Enquanto existem diversas evidências de que o The Intercept é um instrumento da esquerda internacional e do globalismo, o general romeno Ion Mihai Pacepa indica que Snowden estaria trabalhando para a inteligência russa. Essa tese, vem ao encontro de análises de Pascal Bernardin que demonstrou, com base em inúmeros documentos e afirmações oficiais e citações de livros de personalidades como Mikhail Gorbachev, que a União Soviética nada mais fez, com a queda do muro de Berlim, do que mudar de estratégia, alinhando-se em algumas pautas do esquema globalista que já vinham sendo bem desenvolvidas no Ocidente, para exercer um poder por métodos não-aversivos baseados na manipulação das instituições de poder da sociedade. A estratégia da União Soviética, que culminou com o fortalecimento do globalismo ocidental, foca-se, hoje, no ataque aos Estados Unidos e sua influência, por meio de ações como a de Snowden para a qual o The Intercept serve de plataforma. Globalistas e russos veem nos EUA um inimigo em comum, embora cada bloco tenha seus interesses específicos.

Ex-espião do sistema soviético acusa Snowden de ser espião da inteligência russa

O artigo de Cliff Kincaid estabelece relação entre os objetivos de Snowden enquanto espião da inteligência russa e o contexto da entrada de David Miranda no Congresso Nacional no Brasil.

Quando se analisa a lista de principais coberturas do veículo do companheiro de David Miranda, o The Intercept, verifica-se algo em comum em sua grande maioria: investidas contra os Estados Unidos. Em geral, envolvem polêmicas centrais do governo federal americano, seus órgãos militares e de inteligência (NSA, Pentágono, unidades militares e FBI).

Muitos fatos e relações envolvendo a posse de David Miranda são no mínimo curiosas: a relação apontada por Pacepa/Clif Kincaid; o histórico de Glenn e Snowden; o uso do The Intercept como plataforma para Snowden; o seu financiamento globalista; a recente chegada do The Intercept ao Brasil e a saída estratégica de Jean Wyllys culmina na entrada de Miranda no Congresso Nacional. Se essas relações não são uma cascata de coincidências, elas apontam para a montagem de um escritório de inteligência dentro do Congresso Nacional, justamente quando aumenta a presença militar no governo brasileiro e ocorre uma aproximação do Brasil com os EUA e Israel.

Leia também: Soros e a guerra entre globalistas e eurasianistas

 

 


 
 

18 thoughts on “Gabinete de Miranda poderá ser central de espionagem internacional

  1. Legal as informações sobre a fundação do Intercept e sobre Pierre Omidyard. Todavia no geral esse artigo tá um lixo, parabéns pela bosta.

  2. Legal as informações sobre a fundação do Intercept e sobre Pierre Omidyard. Todavia no geral esse artigo tá um lixo, parabéns pela trabalho paranoico e pelo desserviço jornalistico.

  3. Quanto estão lhe pagando para falar💩💩💩💩💩💩?? Se é de graça então vc é um esquerdobobo mesmo….. ou talvez um $$$$$$$ ! Tudo💩💩💩💩💩💩

  4. Quanto estão lhe pagando para falar💩💩💩💩💩💩?? Se é de graça então vc é um esquerdobobo mesmo….. ou talvez um ” interessado ” $$$🤑🤑 ! Tudo 💩💩💩💩💩💩

  5. Muito bom texto. Saber que alguém faz jornalismo tendo como fonte hackers é Muito lamentável. Qualquer coisa que o jornalista disser vai parecer verdade sem a necessidade de provar nada. Só plantou dúvidas, língua bífida, esse é o papel do diabo!

  6. Algo tem q ser feito pra parar os absurdos praticados pelos poderes arbitrários; legal seria por meios do direito, tendo em vista as tramas, atos escusos e manipulações inalcançáveis pelos meios naturais, então utiliza-se os meios que são disponíveis para poder elucidar tramas iguais membros da lava jato fazem uso.

  7. Está procurando espaço para aparecer essa jornalista incompetente, esta atrás de qualquer notícia que cause polêmica para ocupar espaço. É uma total idiota, e muito burrinha, deu para ver no programa do Silvio, não sabia formar raciocínio em perguntinhas mais elementares de conhecimentos gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *