Em editorial, Estadão defende a renúncia de Moro e o afastamento de Dallagnol

A grande mídia embarcou mesmo na onda dos vazamentos criminosos da The Intercept e, seguindo a mesma narrativa da extrema-esquerda – de quem, a bem da verdade, são porta-vozes – os grandes portais já pedem, escancaradamente, a cabeça de Sérgio Moro.

Quem deu o grito mais alto foi o Estadão. Em editorial publicado hoje (11), o portal defendeu que o ministro Sérgio Moro renuncie e que os procuradores envolvidos nos vazamentos se afastem da força-tarefa da Operação Lava Jato “até que tudo se elucidasse”.

O texto, apesar de apontar corretamente a ilicitude dos vazamentos e a inviabilidade de usá-los como provas em um processo, defende que o teor das conversas pode acarretar em efeitos políticos graves e tornar a posição do ministro insustentável, lembrando, inclusive, que outros ministros perderam suas pastas por muito menos.

Com isso, o Estadão reverbera a narrativa de figuras escusas da política como o senador petista Humberto Costa que, mais cedo, postou em sua página no Twitter: “Ou Bolsonaro mantém Sérgio Moro e retira a reforma da Previdência ou mantém a reforma da Previdência e retira Moro. Não há cenário para a manutenção dos dois. É o fim da linha para um ou para o outro”. Quer dizer, segundo o petista, com Moro mantido no cargo, não haverá clima político para votar a Previdência. É mais ou menos o mesmo que diz o Estadão em seu editorial – vale dizer, retweetado por Costa.

 

 


 
 

2 thoughts on “Em editorial, Estadão defende a renúncia de Moro e o afastamento de Dallagnol

  1. O comentário do senador petralha já diz tudo. O que está em jogo com esse ato criminoso que o juiz Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato foram alvo não é soltura do Exu de Nove Dedos, mas, sim, a reforma da Previdência. Tudo esse barulho – por nada, diga-se de passagem, como bem lembrou a deputada Janaína Paschoal – tem como principal objetivo a inviabilização da reforma da Previdência. Mas é pura perda de tempo!! No só a reforma segue no Congresso normalmente, como até o mercado financeiro não deu a menor bola para esse tal vazamento. O mundo político e financeiro parece que aprendeu uma lição com o caso Joesley e não vai se deixar manipular mais uma vez. A reforma da Previdência será feita, quer os golpistas gostem ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *