Prefeito de Florianópolis é preso pela PF e há suspeita de relação com ataques hackers a ministros

Foto: Diorgenes Pandini / DC

O prefeito de Florianópolis (SC), Gean Loureiro (MDB), foi preso na manhã desta terça-feira (18), sob acusação de participar de uma organização que violava sigilo de investigações em operações policiais. O objetivo das violações seria o de proteger políticos alvos de investigação. Ao mesmo tempo, a Polícia Federal suspeita que haja relação desse esquema com os ataques hackers que revelaram o conteúdo de mensagens dos procuradores federais e do Ministro da Justiça Sérgio Moro, na última semana, vazados pelo site The Intercept Brasil.

A Operação Chabu já estava tocando investigações sobre suspeitos de violação de sigilo de investigações policiais bem antes de ocorrerem os vazamentos fruto dos ataques hackers. Mas nos últimos dias, a PF viu a possibilidade de haver relação entre os suspeitos do esquema e as invasões dos celulares do ministro e procuradores. Uma fonte ligada à cúpula da PF, informou à revista Crusoé sobre a possibilidade de envolvimento entre as operações.

A Operação Chabu, que prendeu o prefeito de Florianópolis, é um desdobramento de outra operação, chamada Eclipse, que em 2018 descobriu uma rede de políticos, empresários e servidores da Polícia Rodoviária Federal, em atuações para proteger políticos envolvidos atrapalhando investigações. As acusações são de tráfico de influência, corrupção passiva, ativa, violação de sigilo funcional, obstrução de investigação e organização criminosa.

Site que vazou informações pode ter contratado hacker procurado pelo FBI

O esquema hacker que invadiu os celulares de Sérgio Moro e procuradores federais pode estar associado ainda a esquema internacional com objetivo de enfraquecer a legitimidade das prisões da Operação Lava Jato, com especial intenção na libertação do ex-presidente Lula. O comitê Lula Livre, que está presente em mais de 30 países, reúne ativistas e desde o início centram fogo no juiz Sérgio Moro.

Se forem confirmadas as afirmações do grupo hacker com o codinome Pavão Misterioso, neste domingo (18), os ataques hackers ao ministro e procuradores podem indicar uma operação internacional contra o governo brasileiro, algo que deve acender o alerta de segurança nacional.

 

 

 

 

1 thought on “Prefeito de Florianópolis é preso pela PF e há suspeita de relação com ataques hackers a ministros

  1. E vai adiantar para alguma coisa? Pode acender um farol, um holofote que não vai dar em nada. A verdade é que “ganhamos” as eleições e os bandidos é que mandam. A constituição feita por criminosos para criminosos, deixam o presidente refém destes mesmos criminosos. Isto é notório. Ademais, os militares e a direita morrem de medo da esquerda canalha. A narrativa que vence é sempre a deles, apesar de ser 100% mentirosa. Para piorar, os ministros dos tribunais superiores, todos indicados por bandidos presidentes, só decide a favor dos excrementos da nação. E o povo brasileiro, covarde, se prosta de quatro como…, como…, deixa prá lá. Mourão, que falava que estava de olho nas “aproximacões sucessivas”, viaja para se acertar com a China comunista. Duas criminosas conhecidas dos brasileiros, com o nosso dinheiro, viajam nas caladas da noite para a Rússia para conspirar contra o país. Um desqualificado americano, que traiu o seu país, acostumado a vazar informações secretas para beneficiar a esquerda ajudando-a a continuar oprimindo e escravizando as nações pelo mundo afora, matando milhões de crianças, jovens e país da família, e a história está aí para mostrar, continua livre, leve e solto cumprindo a missão que lhe foi confiada pelo dono do E-bay, ou algo assim, o iraniano, pelo George Soros, entre outros globalistas. Maldito, ainda vou vê-lo apodrecer na cadeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *