Governo Lula abandonou aviões da saúde indígena gerando milhões em prejuízo

Um relatório interno da Fundação Nacional do Índio (Funai) identificou nove aeronaves sucateadas e que deveriam ser usadas para atendimento médico da população indígena. Um decreto de Lula não foi bem articulado e gerou a inoperância (abandono) dos aviões, que desde então ficaram sem uso e geram altíssimos custos de estacionamento em aeroportos no Brasil.

O relatório da Funai indica que três aeronaves estão irrecuperáveis, uma delas será leiloada com valor de referência de apenas mil reais. O custo do estacionamento das aeronaves já chega a R$ 3 milhões, que é o triplo do valor total estimado com o leilão de todas as aeronaves.

Segundo explica o Correio do Povo, em 2010, um decreto assinado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva transferiu a responsabilidade pelas ações de atenção à saúde indígena para o Ministério da Saúde, mas os aviões que iriam atender as comunidades não foram cedidos ao Ministério da Saúde, ficando abandonados. Em vídeo feito pela Ministra Damares Alves, onde caracteriza isso como “um absurdo”, é possível ver a identificação do Ministério da Justiça nos aviões.

Segundo informou a Ministra Damares Alves, será aberta uma sindicância para apurar os responsáveis por esse descaso que gerou esses altos prejuízos financeiros e para o atendimento ao povo indígena.

O vídeo da Ministra Damares Alves mostra mais detalhes sobre a situação dos aviões. No vídeo, a ministra mostra-se indignada e denuncia:

“É um descaso. Índio morrendo por falta de assistência médica e essa aeronave podia estar lá no Ministério da Saúde, com a saúde indígena… Tá aqui óh, abandonada desde 2012!”

2 thoughts on “Governo Lula abandonou aviões da saúde indígena gerando milhões em prejuízo

  1. Nem depois que o Inferno vir buscar o que é dele, o Brasil terá sossego.

    Por isso que tem que cremar e jogar a sujeira no mar de CUba, para não contaminar o solo brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *