Bolsonaro sobre o caso Rhuan: “infelizmente, nossa Constituição não permite prisão perpétua”

Na tarde dessa terça (18), o presidente publicou em suas redes sociais uma mensagem mencionando o caso do menino Rhuan que foi brutalmente assassinado pela mãe Rosana Auri da Silva Cândido e sua esposa Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa. Rhuan, que teve sua genitália cortada há um ano, foi decapitado vivo e esquartejado pelas duas assassinas.

O crime chocou o país e gerou uma grande comoção, sobretudo entre os formadores de opinião da mídia cristã e conservadora – já que a mídia mainstream preferiu abafar o caso para não desmentir certos dogmas do feminismo e da ideologia de gênero.

Hoje, foi a vez do próprio presidente lamentar o caso nas suas redes sociais. Segue a íntegra da mensagem:

“O chocante caso do menino Ruan, que teve seu órgão genital decepado e foi esquartejado pela própria mãe e sua parceira, é um dos muitos crimes cruéis que ocorrem no Brasil e que nos faz pensar que, infelizmente, nossa Constituição não permite prisão perpétua”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *