Raízes do ateísmo militante

raízes do ateismo militante

Eu, particularmente, vejo um grande problema em praticamente todo ateu militante. Esse problema é o que realmente os limita e possibilita identificar uma espécie de cacoete mental, um ciclo vicioso do qual é muito difícil sair. Esse problema, que eu classificaria como radical, no sentido etimológico de raiz, é a arrogância ignorante. É ela que, sempre irmã do orgulho vicioso, embota o raciocínio e o pensamento, inadmitindo sequer a hipótese de que somos seres contingentes, cuja existência mesma é absolutamente dependente de uma sustentação transcendental e heterônoma. Eles, orgulhosa e arrogantemente, se aferram a uma autonomia existencial e, paradoxalmente, se reduzem à animalidade pura e simples. Preferem isso a sequer cogitar uma submissão a um Ser Divino, que só por pensamento analógico pode ser aproximativamente conhecido, conforme ensina a tradição apofática.

O grande protótipo dessa arrogância é encontrável em Nietzsche, que afirmou aproximadamente o seguinte, que não podia crer em Deus, porque não suportaria, em existindo um Deus, que este não fosse ele mesmo. Então, caem no equívoco óbvio de tentar submeter Deus e a divindade a uma tentativa de desvelamento direto (não meramente analógico), de submeter Deus a categorias materialistas, a relações binárias, temporais, imanentes, puramente racionais no limite humano. Por esse caminho realmente um bloqueio insuperável é criado e mantido pela ignorância arrogante que se retroalimenta de suas próprias limitações e, sem perceber essa obviedade, presunçosamente, se autointitula como “superior”, apontando qualquer crente como irracional, ignorante, supersticioso etc. Acusam os outros daquilo que são, movidos por uma espécie de patologia, desconhecendo, na maioria das vezes, ou mesmo desprezando uma tradição de racionalidade fortemente ligada à religião pela obra de grandiosos filósofos e teólogos, como, por exemplo, São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Chesterton, Mário Ferreira dos Santos , Cláudio Henrique de Lima Vaz e muitos outros. Chegam a olvidar que a religião é um fenômeno típica e exclusivamente humano, portanto , inapelavelmente racional, já que pelo menos desde os gregos clássicos sabemos que somos seres racionais e de uma racionalidade específica, que nos capacita a abstrações, ao universal e à autoconsciência. Seres irracionais ou dotados de uma racionalidade limitada não manifestam qualquer comportamento remotamente similar à religiosidade e, muito menos, jamais erigiram complexos pensamentos e sistemas teológicos. Mas, sem perceber nada disso, para o ateu militante, os burros são os “outros”, sem notar que, na realidade, burros, jumentos e outras bestas e feras nunca desenvolveram e nem desenvolverão sistemas religiosos.

Tudo isso que constato, diz respeito muito especificamente aos ateus militantes, não àqueles que tem dificuldade particular em crer, pois isso também é humano e a fé sem o contraponto da dúvida seria inviável, pois ou seria a descrença absoluta e inafastável faticamente ou a certeza por revelação direta. Afinal, a luz não pode existir sem o contraponto das trevas ou das sombras. Também não incluo neste mesmo contexto os chamados agnósticos, em sua espécie de “suspensão do julgamento “, que revela uma natural e também humana insegurança do homem frente aos mistérios do divino. A estes reserva-se o caminho da introspecção e da busca da solução de um dilema existencial, sentimental e cognitivo. Os ateístas militantes até podem, mas muito raramente se concederão a chance de emergir da ignorância, exatamente porque ela vem acompanhada de um orgulho profundo e de uma arrogância intransigente.


 
 

5 thoughts on “Raízes do ateísmo militante

  1. Excelentes considerações, em especial quanto ao desenvolvimento da presente dissertação, afinado com o tomismo e outros viés conclusivos consagrados pela experiência da estrutura da realidade dada em oferta aos homens e mulheres de inteligência ao menos mediana (ou seja, para quem não seja um ateu militante…).

    Parabéns pela iniciativa!

    #PensemosARespeito

  2. acreditar em seres alados e imaginários deveria ser crime com pena capital, essa permanencia de fanatismo ridiculo, parece jardim da infancia de acefalos, dá nojo de ouvir e ver as coisas ridiculas que eles fazem em nome de sua demencia de crente, ter fé é basicamente ser bobo, não usar o cérebro adulto e não ter liberdade mental para questionar porque o povo acredita em tudo, que ouve falar de tempos em tempos… Eu sou ateu, e jamais acreditarei em nada dessas bobagens, o ser humano nasce sozinho, vive sozinho e morre sozinho, não adianta voce querer grudar em ninguém a vida é apenas sua, a sua dor quem vai sentir é apenas voce, o ser humano precisa de independencia mental, ele tem que ser adulto, o suficiente para não deixar ninguém pensar por ele, ele tem que acreditar apenas em si mesmo, cada um é dono da sua vida, voce pode morrer a qualquer momento, então tenha controle da sua mente e dos seus atos. Pronto isso é o asteismo sadio e verdadeiro 🙂 Não precisam me agradecer pela aula ok, eu sou super feliz comigo mesmo, não dependo da aprovação de ninguém, não acredito em pragas, maldições, bençãos, a minha vida quem faz sou eu, e a propósito ela está ótima !!! bando de asnos crentes religiosos, o atraso mundial é por causa disso, eles usam essa bobagem de religião para matar, estuprar crianças e mulheres, livros escritos por machistas fanaticos islamicos… ninguém nunca viu nada, só os lunáticos daqueles países arabes viram … kkkk isso é uma comédia, e ainda ficaram ricos vendendo livros ignorantes e machistas, que eles mesmos escreveram, onde o homem obviamente pode tudo, e a mulher nunca pode nada … kkkk quem acredita nesses livros sofre de carencia de inteligencia mental, uma doença grave que pode ser fatal, tem gente que até se suicida por isso… são seres humanos loucos, não merecem sequer atenção, é pura perda de tempo discutir com eles, pois seu nivel mental é bem abaixo de zero, sendo assim: ADEUS !

    1. Aula??? Vossa jumentoscência por acaso tem oligofrenia?Vc só escreveu um monte de baboseira sem pé nem cabeça. Tenho pena e repúdio de pessoas assim, tomadas pelo ignorância e pela prosápia.
      Pq ao invés de ficar fazendo estes comentários superficiais fundamentados no senso comum vc não vai ler um livro de metafísica pra deixar de ser burrinha? Vai lá, estuda um pouco de Tomás de Aquino. Opa! Esqueci que gente da sua laia não tem massa encefálica pra isso, são burrinhos e arrogantes demais pra isso…
      Na primeira página da Suma Teológica os neurônios queimam e o córtex vira gelatina kkkkkkkkkkkkkk.

  3. Kkkkkkkkk. Você apenas comprovou os argumentos do texto. Ateus militantes são arrogantes e burros em sua grande maioria. Passar bem, aberração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *