Cardeal classifica como herético documento base do Sínodo da Amazônia

O cardeal alemão, Walter Brandmüller, acusou o documento base do Sínodo da Amazônia de ser um documento herético e apóstata. A conclusão do cardeal é de que o documento, intitulado Instrumentum Laboris "contradiz o ensinamento vinculante da Igreja em pontos decisivos e, portanto, deve ser qualificado como um documento herético. Dado que mesmo o fato da revelação divina é aqui questionado, ou mal e...


Você não está autorizado para acessar esta página.

Conteúdo exclusivo para assinantes Estudos Nacionais.

Tenha acesso ilimitado e colabore com a mídia alternativa. Clique aqui e assine por apenas R$ 14,90 ao mês ou faça login abaixo se você já é assinante: