Uma lição da história

Na década de 60 do século XIX, o deputado Irineu Evangelista do Partido Conservador, conhecido como Barão de Mauá, um dos homens mais ricos do Brasil da sua época, quando de seus primeiros projetos, foi acusado pelo Partido Liberal de manter uma política liberal e obrigar os liberais a apoiá-lo, inviabilizando uma oposição. Não havia estratégia alguma nas ações do barão, somente algumas convicções que coincidiam com as idéias liberais, já que o barão era um grande empresário da época.

É justamente assim que o PT está inviabilizando uma oposição no Brasil. Afinal, como irão discordar dele os senadores liberais do DEM ou do PSDB quando o presidente apresenta maravilhosos índices econômicos, coisa jamais imaginada vinda de um sindicalista stalinista apoiado pela cúpula do movimento guerrilheiro no Brasil?

Assim se conquista a oposição fabricando aquilo que mais temem os defensores dos princípios da democracia: o consenso e, por meio dele, o partido único.

Escritor, Jornalista e pesquisador de mídia, mestre em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Autor do livro “A Transformação Social: como a mídia de massa se tornou uma máquina de propaganda (Estudos Nacionais, 2016)” e colunista no site Estudos Nacionais e um dos fundadores da RádioVox. Colaborador do site Mídia Sem Máscara e aluno do filósofo Olavo de Carvalho desde 2009.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta