TRF-1 suspende investigação de advogado de Adelio Bispo

Advogados-do-escritório-NDCM-Advogados-Associados-defendem-Adelio-Bispo

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil e Divulgação

No dia 28/02, o desembargador Néviton Guedes do Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou a suspensão das investigações sobre o advogado de Adélio Bispo, autor do atentado contra o Presidente da República.

A investigação sobre o advogado Zanone Manuel de Oliveira Junior, responsável pela defesa de Adélio, vinha sendo feita para verificar se havia ligação dos advogados com possíveis mandantes do crime. Em dezembro, a Polícia Federal em Minas Gerais cumpriu dois mandatos de busca e apreensão em endereços ligados ao advogado. A postura foi condenada pela OAB-MG, que se posicionou em defesa do sigilo advogado-cliente.

O desembargador determinou, segundo o portal G1, a suspensão da perícia dos materiais apreendidos, determinando que a PF e o Ministério Público devolvam à Justiça os registros e informações da busca e apreensão.

Conforme destacou a Veja, a PF informou nesta semana que faltava somente a análise dos materiais apreendidos, portanto, a determinação do desembargador “deve atrapalhar a conclusão da investigação”, que era a forma como poderia ser confirmada a suspeita de que o criminoso não agiu sozinho, levando a investigação ao possível mandante do crime, organização criminosa ou políticos.

Críticos destacam que por se tratar de um crime de segurança nacional com inúmeros indícios de que Adélio Bispo não agiu sozinho, o sigilo advogado-cliente não se aplicaria ou não deveria prevalecer, especialmente porque a lei que assegura esse direito aos advogados excetua os casos em que o advogado se torna suspeito.


Informações:

Renovamídia, Veja e G1.


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *