• Ano
  • 1939
  • 1948
  • 1966
  • 1972
  • 2006
  • 2015
  • Nr. de abortos
  • 439
  • 4.000
  • 7.254
  • 24.171
  • 36.045
  • 38.071
  • % de gravidezes
  • 0,4%
  • 3,5%
  • 5,5%
  • 17,71
  • 25,3%
  • 24,9%
  • População
  • 6.325.739
  • 6.883.342
  • 7.807.717
  • 8.122.144
  • 9.081.000
  • 9.779.000

Suécia: Números crescem nos primeiros anos e permanecem estáveis em patamar alto

Dados do Governo.

Desde a legalização em 1938 o número anual de abortos cresceu na ordem de 9.000%.

Os primeiros números, datam do ano seguinte à legalização, quando ocorreram 439 abortos, correspondendo a 0,4% do total de nascimentos daquele ano. Nove anos depois, em 1948, os números ultrapassaram 4 mil e, até 1965, oscilou entre 5 a 6 mil abortos a cada ano.

Desde 1950, a Suécia teve um aumento de 700% no número de abortos realizados no país, superando em muito o seu crescimento populacional, que foi de 30% nesse período.

Em 1966, foram registrados 7,254 abortos. Dois anos depois (1968), o número dobrou. Em 1972 saltou para 24.170 (15% do total de nascimentos). De 1974 até 2015 o país registra todo ano um número de abortos oscilante na casa de 30 mil abortos. De 2001 a 2008, cresceu continuamente chegando a 38 mil. Desde 2006 até 2015 todos os anos registrou número de abortos acima de 36 mil abortos, o que corresponde a 24% do total do número de mulheres grávidas ao ano.

Sobre as leis na Suécia

O país teve a primeira regulamentação sobre aborto muito cedo, em 1938. As justificativas nessa época para um aborto envolviam questões médicas e eugênicas. Em 1946, houveram novas alterações nas leis e novamente em 1960.

Verifica-se claramente nesse país que quanto mais a lei avançava em legalizar o aborto maior era a quantidade de abortos praticados.

Fontes:

Compilação de estatísticas de aborto da Suécia

US National Library of Medicine – Swedish law on abortion

Harvard HSPH site

Historicalstatistics.org