Renúncia de Jean Wyllys foi “golpe de marketing”, segundo dep. Bia Kicis

Foto: Edilson RodriguesAgência Senado

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) classificou como um “golpe de marketing” a renúncia de Jean Wyllys ao terceiro mandato federal e classificou o ex-deputado de covarde. Wyllys foi condenado a pagar 40 mil reais à deputada por processo de difamação.

Eleita para o seu primeiro mandato na Câmara, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) é rival declarada do ex-deputado psolista Jean Wyllys, que renunciou ao mandato mudando-se para a Espanha. Mesmo que Wyllys tenha baseado a renúncia em supostas ameaças de morte, a deputada não poupou o ex-deputado:

“[Jean Wyllys foi] extremamente covarde. E digo mais: eu não acredito nem um pouco nessas ameaças”, disse Kicis, em entrevista ao jornal Metrópoles.

Bia comparou a atitude de Wyllys com a do presidente Jair Bolsonaro diante do ataque sofrido na campanha pelo então candidato ao Planalto.

“O nosso candidato à Presidência da República tomou uma facada, enfrentou com coragem, é presidente, está lá na terceira cirurgia e despachando. A gente não pode querer que todo mundo seja corajoso. Tem pessoas que são covardes, fazer o que, né?”, ironizou.

Alguns dias atrás, Kicis reapresentou o projeto conhecido como Escola sem Partido. Justificou que, depois de ele ter sido arquivado na Casa, ela trouxe alterações significativas à proposta, conforme noticiou o Renova Mídia, dando o direito a alunos de gravar aulas de seus professores.

Bia Kicis já processou Jean Wyllys por uma postagem nas redes sociais. Na época do impeachment de Dilma Rousseff (PT), ele publicou uma foto com a então ativista e seu grupo com o dedo para cima.

Na legenda, provocou: “Levanta a mão quem quer receber uma fatia dos R$ 5 milhões”. Ele foi condenado a pagar R$ 40 mil à parlamentar.

Informações Renova Mídia


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *