Para os progressistas, só os islâmicos sofrem atentados e são vítimas da intolerância

Um tweet da esquerdista Hillary Clinton, candidata dos democratas à presidência dos Estados Unidos no último pleito, revelou perfeitamente o duplo padrão de julgamento dos progressistas quando o assunto é terrorismo e intolerância religiosa.

Quando houve o massacre de muçulmanos na Nova Zelândia, no dia 14 de março, a democrata comentou na rede social:

“Meu coração está despedaçado pela Nova Zelândia e pela comunidade islâmica global. Devemos continuar lutando contra a perpetuação e normalização da islamofobia e racismo em todas as formas”. E mais: “Terroristsas supremacistas brancos devem ser condenados por todos os líderes. Esse ódio assassino deve parar”.

Veja a postagem original:

 

Nesse caso, tanto as vítimas quanto os culpados tem nome e sobrenome. Ela sente muito pela comunidade global muçulmana e quer combater a islamofobia e os supremacitas brancos, geralmente identificados como cristãos europeus.

Muito bem. Vejamos agora a mensagem da mesma Hillary sobre o massacre dos cristãos no Sri Lanka ocorrido ontem. Ela diz:

“Nesse final de semana sagrado para muitas fés, devemos nos unir contra o ódio e violência. Estou orando por todos os atingidos por esse terrível ataque de hoje aos adoradores da Páscoa e viajantes no Sri Lanka”.

Confira o post:

 

Não há menção aos cristãos e muito menos à cristofobia. E nem se aventa a possibilidade de intolerância religiosa e racismo. E não há mensagem de apoio à comunidade cristã mundial, atualmente, a mais perseguida do mundo.

E foi nessa mesma linha a mensagem de Barack Obama, também do Partido Democrata. Ele tweetou:

“Os ataques à turistas e adoradores da Páscoa no Sri Lanka são atentados contra a humanidade. Em um dia devotado ao amor, redenção e renovo, oramos pelas vítimas e estamos com o povo de Sri Lanka”.

Segue o original:

 

 

Quem são, afinal, os “easter worshippers”? Ou só se pode falar de cristãos quando eles são os supostos agressores racistas e intolerantes?

Essa é um síntese de como a classe política e intelectual esquerdista do Ocidente encara essas situações. E disso deriva que nosso grande adversário civilizacional não sejam os muçulmanos. Na verdade, os bárbaros estão intramuros.

 

 


 
 

3 thoughts on “Para os progressistas, só os islâmicos sofrem atentados e são vítimas da intolerância

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *