Militares do governo compram versão de jornais contra investigações na Educação

Militares do governo teriam sido os responsáveis pelo expurgo de alunos de Olavo de Carvalho do MEC, segundo o ex-assessor Silvio Grimaldo. A narrativa sustentada pela maior parte dos jornais diz que os remanejamentos de servidores ocorreram devido o mal estar gerado por carta do ministro e recomendação de que escolas cantassem o Hino Nacional.

Bem ao contrário do que têm dito notícias a respeito, segundo informações de Silvio, a exclusão de servidores de seus postos foi devido uma pressão empresarial contra a Lava Jato da Educação, que ameaçava revelar fraudes em convênios e licitações nas quais essas empresas estariam envolvidas.

A prova disso, segundo Silvio, está na movimentação das ações dessas empresas na bolsa, que caíram imediatamente ao anúncio das investigações e retomaram crescimento quando do anúncio do afastamento de servidores.

Setores militares são acusados de orquestrarem a mudança a pedido das empresas de serviços educacionais e o lobby que não teve efeito como ministro Vélez.

Assim como o vice Mourão, grande parte dos militares acredita que a grande mídia presta serviço à democracia, em detrimento da vontade popular. Com isso, esses militares estariam criado obstáculos à efetivação de promessas de campanha do Presidente, como a Lava Jato na Educação.


 
 

3 thoughts on “Militares do governo compram versão de jornais contra investigações na Educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *