Gen. Mourão diz preferir massacre de inocente a uma guerra civil

O vice-presidente, Hamilton Mourão, é general da reserva, mas disse, em entrevista, que caso o povo da Venezuela estivesse armado e pudesse se defender do massacre em andamento pelo ditador Maduro, seria bem pior, pois então teríamos uma guerra civil. É só ver o vídeo no final da matéria.

Essa declaração de Mourão é suficiente para o considerarmos um covarde criminoso, além de um flagrante traidor do governo do qual faz parte. Sim, é possível que Mourão não acredite no que disse. Mas a sua declaração demonstra a falsidade de um maquinador que gosta de ser ovacionado por jornalistas.

Percebam que, ao terminar a primeira frase, ele estava aparentemente chamando a atenção para o massacre covarde do ditador venezuelano contra um povo desarmado. Mas ao enfatizar que os venezuelanos estavam desarmados, tomou conta dele um profundo medo de parecer direitista aos ouvidos fiscalizadores da extrema-imprensa, para os quais tem uma orgulhosa sensibilidade. Então, para não perder o timing dos microfones e holofotes que iluminavam o semblante de necessária serenidade, emendou com a asneira sanguinária, típica dos mais torpes covardes da história humana, ao insinuar que se os venezuelanos pudessem se defender de Maduro, seria bem pior.

“A população está desarmada… e tem que estar, não é? porque senão nós teríamos uma guerra civil, o que seria pior”

Não é exagero, portanto, nem distorção das suas palavras, se dissermos que ele prefere um massacre de inocentes a uma guerra civil. Guerra, por definição, pressupõe ao menos uma relativa igualdade de posições e condições de defesa. Mas o que Mourão prefere e acha mais seguro é o massacre, é claro. Maduro também acha.

O que poderíamos dizer em sua defesa? Que a intenção não foi essa e que a sua opinião verdadeira não é essa. Ok, então temos aí um dissimulador covarde, que não tem coragem de dizer o que pensa, exceto se isso for contra o presidente a quem ele deve obediência.

Mourão é o câncer deste governo e enquanto ele, e talvez outros generais por trás dele, estiverem no poder, podemos esperar o sepultamento definitivo da direita no Brasil, transfigurada sob uma tutela militaresca e positivista que tenta se disfarçar de politicamente correta.

Que ninguém venha criticar esta opinião sob a desculpa de que a grande mídia é quem cria divisões no governo. É só assistir ao vídeo abaixo. Se o general é tão sensível à pressão psicológica dos jornalistas da esquerda, porque os da direita deverão aliviar para ele?


 
 

9 thoughts on “Gen. Mourão diz preferir massacre de inocente a uma guerra civil

  1. Só o fato dele ter ajudado o filho a ganhar ‘promoção ‘ deveria ter feito o pessoal ficar atento. Mas não… bateram palminha pra safadeza.

    Toda e qualquer safadeza moral (tipo o Bolsonaro pegar auxílio mudança de deputado a 3 dias de assumir a presidência, ou os seus funcionários laranjas), deveria ser criticada com veemência, com intolerância, pelos ditos conservadores.

    É melhor que PT e PSDB no poder? CLARO QUE SIM! Mas essa tolerância com o erro vai corroer a moral, a reputação desse governo.

    O projeto conservador está em perigo. Temos de cobrar do ‘mito’ e seus asseclas um comportamento de direita de fato. Do jeito que vai, vamos de mal a pior.

  2. Por tabela, este pedaço de estrume positivista também deve “achar” que é melhor a situação de narcoterrismo que o Brasil vive do que a oportunidade de reação aos bandidos.

    Como eu disse naquele domingo em que Luiz Philippe de O. E Bragança foi preterido como vice pelo PSL (Bebianno) em favor de Mourão: É uma reedição de 15 de Novembro de 1889.

  3. Aqui observo o quanto está despreparado os formadores de opinião.O quanto falam e escrevem de besteiras,o quanto são tendenciosos e fracos de cultura.O general Mourão e um general inteligente,estudioso,capaz que ao fazer a análise ele diz…que um massacre de inocentes e melhor que uma guerra civil..Mas claro que é..Se estivéssemos numa guerra civil por exemplo esta coluna já não iria mais existir pq seria dizimada…numa guerra civil não há mais leia e a vida não tem mais valor para ninguém…e só refletir e ver que o general está crivado de razão.Prof e jornalista Eliseu Johner

    1. Concordo com você com o despreparo na formação de opiniões. E vejo que em nenhum momento ele falou que prefere o massacre de inocentes. Se a população estivesse armada a situação seria mais caótica e haveriam muito mais mortes, pois seriam dois grupos distintos, população divida entre dois lideres contra militares fortemente armados e com mais poder de fogo, equipamentos de guerra e tudo mais (bombas, tanques, granadas, misseis terrestres, etc) atirando institivamente, e pode crer que os militares no desespero por estarem sendo atacados usariam tudo isso, eles já estavam fazendo isso usando blindados e atirando, ainda bem que o povo não estava armado e se esconderam, porque se estivessem armados e trocado chumbo, hoje os hospitais da fronteira teriam que fechar por super lotação e milhares morreriam sem socorro e os enterros seriam como no holocausto em valas com corpos amontoados aos milhares, isso sim seria um massacre, ação de milhares com pouco poder de fogo e reação de muitos com muito poder de fogo. E contando que o próprio povo atiraria entre si por opiniões divergentes.

  4. Eliseu, não seja ingênuo… Matar civis desarmados, sem qualquer direito de defesa e ainda ter a garantia de poder continuar fazendo livremente e por tempo indeterminado o que quiser, nunca poderá ser melhor do que a existência de inocentes que, ao menos, tenham o direito de poder reagir. Claro que Guerra Civil ou rebeliões localizadas são terríveis, mas muitas vezes abreviam o tempo para solução de problemas e chamam a atenção do mundo.

  5. Com leves adaptações, essa matéria poderia ser publicada no “Brasil 24/7”.

    Até o final do ano Olavo de Carvalho deixa de ser esquerdista enrustido. Reinaldo Azevedo pelo menos teve dignidade de fazê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *