FACT-FAKE | Presidente da Nicarágua acusa “interferência norte-americana”. Verdade?

FACT-FAKE | Presidente da Nicarágua acusa “interferência norte-americana”. Verdade?

02/08/2018 0 Por Cristian Derosa

Na nova onda dos fact-checking, Estudos Nacionais decidiu analisar algumas afirmações feitas pelo ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, que foram repercutidos em sites como o Vermelho.org.br, na condição de verdade absoluta e conhecida: o velho inimigo imperialista norte-americano. Mas afinal o que está sendo financiado? Trata-se mesmo do governo dos EUA?

Desde 1974, EUA promove controle agenda do populacional na América Latina por meio da USAID

A USAID é um órgão fundado a partir do Relatório Kissinger, escrito em 1974 pelo então secretário de estado norte-americano Henry Kissinger, cuja principal preocupação era a suposta explosão populacional especialmente nos países do então chamado Terceiro Mundo. Pautas como contracepção, controle populacional e aborto são de maior interesse da entidade desde a sua fundação.

Para quem pensa que isso é “teoria da conspiração” ou coisa do passado, há evidências fartas de que a USAID permanece fiel aos princípios do Relatório Kissinger. A sua participação em congressos de obstetrícia e ginecologia (como a FIGO 2018, no Rio de Janeiro) e financiamento de órgãos como a Febrasgo, foram tema de grande reportagem da Revista Estudos Nacionais do mês de junho, mas seus dados estão disponíveis na plataforma online.

Órgãos como a USAID têm independência em relação aos governos dos EUA, por ser entidade controlada por fundações filantrópicas e grupos como o Council Foreign Relations (Conselho de Relações Exteriores, CFR), que buscam controlar o governo por meio da infiltração em sua estrutura, estratégia que ocorre desde a Guerra Fria.

O presidente Donald Trump, já no início de seu governo, cortou todos os investimentos estatais para ONGs estrangeiras que promovem o aborto, como a Planned Parenthood. Mas órgãos como a USAID mantém-se discretamente nessa atuação, já que suas pautas não são claras e pertence a uma atuação não-governamental e de longo prazo. Suas pautas são genéricas como “apoio à democracia e desenvolvimento” de países do terceiro mundo. Na prática, porém, é conhecida a sua ação de controle populacional como pauta principal.

Ortega devia agradecer a mesada

O presidente da Nicarágua afirma que o dinheiro da USAID está sendo usado contra o seu governo. Evidentemente, órgãos como a USAID não são favoráveis a ditaduras escrachadas como a de Ortega já que entre suas bandeiras inclui-se a defesa da democracia e os direitos individuais (como aborto, ideologia de gênero, entre outras), o que no momento pode atrapalhar os planos do ditador, mas que o ajudaram bastante a angariar apoio de toda a esquerda continental, como dos partidos brasileiros como o PCdoB, do Portal Vermelho, e suas reportagens humanitárias sobre direitos sexuais.

Daniel Ortega, ditador que massacra o povo da Nicarágua, devia agradecer à USAID pelo dinheiro que recebeu ou que seus aliados receberam, assim como o Foro de São Paulo, fundado por Lula e Fidel, em 1990 e incrementado com dinheiro imperialista no Pacto do Diálogo Interamericano, em 1993. A esquerda latino-americana deve muito aos grandes investidores internacionais de Wall Street, representados pelo CFR, fundações como a Ford, Rockefeller e o milionário George Soros, todos unidos por causas comuns que inclui mesadas à esquerda regional para que viabilize suas agendas.

O Pacto do Diálogo Interamericano é um dos pontos mais contraditórios do discurso das esquerdas latino-americanas, que se caracterizam pelos corriqueiros ataques ao “imperialismo norte-americano”, deixando de lado os altos investimentos que seus movimentos e partidos recebem em dólar. Evidentemente, essa esquerda bem financiada não está se referindo às grandes fundações que a sustentam, mas ao governo atual dos EUA, que é claramente contrário tanto ao aborto e ideologias de gênero (pautas de toda a esquerda) como de governos de extrema esquerda como o dele.

Se Trump estaria utilizando a USAID contra ditaduras latino-americanas como a da Nicarágua, temos aí uma boa notícia, a de que a agência nacional estaria sendo finalmente controlada pelo governo dos EUA, o que considerando o poder dos verdadeiros imperialistas globais parece bastante difícil de acreditar, já que toda a elite globalista está, no momento, empreendendo esforços contra o governo de Trump e sua agenda nacionalista odiada por Wall Street.