Economia chinesa pode ser uma imensa “fake news”

Getty Images

O crescimento econômico da China tem sofrido falsificações há anos e a diferença entre a maquiagem e a realidade pode chegar a dois pontos percentuais, segundo o think tank americano Brookings, citado pelo jornal “Le Figaro” de Paris. A informação e o texto é de Luis Dufaur, autor do blog Pesadelo Chinês.

O nível da poupança e os índices de investimento também foram inchados, de acordo com a matéria, e os números reais estariam 7% abaixo.

Segundo essa fonte, o PIB chinês verdadeiro estaria 12% por baixo do número oficial. O estudo foi realizado por dois professores de economia e dois doutorandos das Universidades de Chicago e de Hong-Kong encomendados pelo prestigioso think tank. Em artigo do início de março, o “The Economist”  informou que a magnitude da distorção do PIB chinês seria de 16%.

Segundo especialistas da Brookings Institute, a manipulação pode vir do próprio sistema comunista. Os governadores de província têm que cumprir as metas fixadas no plano quinquenal de Pequim. Se não o fizerem podem perder o cargo e até a cabeça. Não atingindo as mirabolantes metas, falsificam os números. E como a situação piorou as distorções vêm crescendo proporcionalmente desde 1990.

Resultado: a secretaria de estatísticas de Pequim pena para avaliar corretamente o que acontece no PIB nacional.  O governo tenta novos indicadores que até incluem a poluição. Mas o problema essencial fica em pé: ai do chefe local que não atingir a meta econômica matutada nos imensos corredores da administração marxista.

“The Economist” observou que a China é tida como um país que manipula sistematicamente suas estatísticas.

A máquina partidária é feroz na hora de coletar os dados e mais de dois milhões de agentes vivem visitando empresas, lojas e até camelôs para que os números finais batam com as metas planificadas. Por todo lado, cartazes imploram ao povo para cooperar. Mas dizer a verdade devora os lucros conseguidos com imenso esforço.

A denúncia provem de fontes muito autorizadas da economia.

E levanta a séria desconfiança de a China estar fazendo grandes aquisições industriais e financeiras no Ocidente de que ouvimos falar todos os dias, sem possuir os fundos que diz ter.

Nesse caso os investimentos chineses em nossos países teriam muito de bolha de sabão: pagos com um número transferido pelos computadores dos bancos centrais que não correspondem a nada, parcial ou totalmente.

As economias de Ocidente então estariam sendo engolidas por um ‘tigre de papel’, que traz em seu interior uma organização ideológica comunista que visa conquistar os países que caíram tolamente no conto.

Informações: The Economist, Pesadelo Chinês


 
 

2 thoughts on “Economia chinesa pode ser uma imensa “fake news”

  1. Quem ouve o programa da rádio vox – O outro lado da notícia, do Heitor de Paola, conhece bem que a China não passa de um tigre de papel.

  2. Pingback: Homepage

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *