Bolsonaro é Pop: presidente aparece na lista dos 100 mais influentes da Time

O presidente Jair Bolsonaro, que é um dos políticos com maior engajamento nas redes sociais em todo o planeta, conquistou, hoje (17), mais um prêmio de popularidade: apareceu na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo da Time Magazine.

A Time 100 surgiu em 1999 e, desde lá, prepara essa aguardada lista anual com as personalidades mais destacadas em diversas áreas, da arte à política. Bolsonaro, por exemplo, aparece na categoria de Líderes ao lado de nomes como Donald Trump e o Papa Francisco.

A nota negativa é que o autor do artigo sobre Bolsonaro, Ian Bremmer, misturou uns elogios pinçados com a típica caracterização esquerdista “lacradora” rotulando o presidente como “ultraconservador”, “homofóbico” e “garoto propaganda da masculinidade tóxica”. Ademais, o autor deu a entender que conhece muito as instituições democráticas brasileiras, em pleno vigor, segundo sua opinião, e que certamente darão um jeito de frear os impulsos dessa “figura complexa” que preside nosso país. Mal sabe ele a quantas andam nossa democracia e para que lados vão nossas instituições.

 

Segue a íntegra do artigo com tradução nossa:

“Jair Bolsonaro é uma figura complexa. Após três meses como presidente do Brasil, ele representa uma acentuada ruptura com uma década de elevada corrupção, e o Brasil tem a melhor chance, em uma geração, para emplacar as reformas econômicas que podem controlar a crescente dívida (déficit fiscal).  O capitão do exército é também um garoto propaganda da masculinidade tóxica, um ultraconservador homofóbico tentando empreender uma guerra cultural e talvez em vias reverter o progresso do Brasil no combate às mudanças climáticas”.

“Mas seu fascinante apetite por polêmicas talvez obscureça uma importante verdade sobre seu país: o Brasil mantém uma democracia dinâmica, com instituições robustas, que limitarão tanto os benefícios quanto os malefícios que ele possa trazer. Se ele quiser realizar qualquer coisa, terá que aprender a trabalhar dentro do sistema e traçar os acordos necessários para avançar sua agenda um passo de cada vez. O tempo dirá se ele terá a flexibilidade e resiliência de caráter necessárias”.

Talvez aqui caiba a máxima: falem mal, mas falem de mim. Enquanto os jornalistas militantes seguem com a tentativa malfadada de queimar seu filme, Bolsonaro segue como fenômeno de popularidade no Brasil e no mundo.

Vale destacar que Bolsonaro foi o único brasileiro a aparecer na lista desse ano.


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *