“A mídia está raivosa porque fechamos as torneiras”, diz diretora da Apex

A diretora da Agência Brasileira Promotora de Exportações (Apex), Letícia Catelani, tem sido apontada pela grande mídia como o “pivô” de uma suposta crise dentro da Apex. A crise, porém, tem sido gerada pelas próprias reportagens da grande mídia, parte de uma operação de retaliação contra o corte de privilégios de um verdadeiro esquema de contratos dentro da agência.

O esquema está sendo mexido pelo chanceler Ernesto Araújo, amplamente odiado pelos jornais e retratado como lunático e outras depreciações. Jornalistas, editores, artistas e políticos temem a mudança da política externa brasileira, o que afetaria além do comércio internacional as agendas ideológicas às quais o país ficou submetido ao longo dos últimos governos.

A agência, que sob a gestão de Letícia Catelani prometeu focar no agronegócio, tem um orçamento de R$ 800 milhões e o seu controle tem sido disputado por grupos rivais. Fontes internas informam que generais têm atuado para domesticar a Apex e inserir lá dentro seus aliados contrários à gestão de Araújo. O chanceler é considerado um dos ministros mais fieis ao presidente Bolsonaro.

Em 2018, houve uma tentativa de auditoria para apurar eventuais gastos injustificáveis na gerência de marketing, mas, segundo a atual diretoria, o desfecho foi favorável aos corruptos e o auditor cedido pela CGU, Fabio Valgas, foi demitido.

Empresas prejudicadas estão irritadas com a situação. De um lado, empresários e artistas ansiosos pelo financiamento farto da agência, de outro a briga por controle dos militares. O medo de alguns é a colocação de quadros ligados a governos anteriores, como o embaixador Roberto Jaguaribe, ligado a Lula, que estava na Alemanha, mas veio ao Brasil para uma suspeita reunião com o gen. Santos Cruz.


 
 

5 thoughts on ““A mídia está raivosa porque fechamos as torneiras”, diz diretora da Apex

  1. Será que ninguém está alertando o Bolsonaro sobre essa ala dos militares sabotando os ministérios?
    Se o Bolsonaro sabe e não está fazendo nada, está de mãos amarradas ou acredita que estes militares estão com boas intenções?
    Cara que coisa insana!

  2. Não acredito nessa informação.Nós militares,prezamos a lealdade,não só ao PresRep, mas também ao país.Além disso,os militares que ocupam cargos no atual governo são muito competentes,tem longa folha de bons serviços prestados ao Brasil e foram escolhidos cuidadosamente pelo presidente Bolsonaro.O autor deste artigo deve estar mal informado.

    1. O senhor acha o tratamento dispensado pelo vice-presidente, para ficar em um exemplo, respeitoso e leal? Ele não tratava assim NEM a terrorista da Dilma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *