Mortes em SC têm causa humana

Como se não bastasse todo o sofrimento enfrentado pelas vítimas dos desabamentos e infortúnios causados pelas chuvas em Santa Catarina, a intelligentsia brasileira resolveu aproveitar o acontecimento para estimular o ódio ao capitalismo, transformando as vítimas das enchentes em massa de manobra revolucionária ao proferir o que já se tornou lugar mais do que comum: é culpa do aquecimento global, causa das emissões de gases.

Os mortos em Santa Catarina, por conta dos deslisamentos causados pela grande quantidade de chuvas do último mês passaram de cem. É possível que este seja o maior desastre ocorrido no Estado. O Brasil inteiro se comoveu com as perdas em vidas e materiais das centenas de pessoas que vivem no interior catarinense. A despeito da caridade do maior país católico do mundo, estamos diante de uma das maiores manifestações de apoio em conjunto poucas vezes realizadas.

Mesmo assim, há quem aproveite este momento dramático para fazer campanha político-ideológica, imediatamente encontrando um culpado universal para os desastres naturais. A frase mais ouvida na televisão quando alguém recebe a delicada missão de “analizar profundamente a catástrofe”, é aquela que tanto ouvimos da boca dos “cíentístas-ideólogos”: “É culpa do aquecimento global”.

De fato a elevação das temperaturas causa o aumento das precipitações. Mas aí entra o artifício mais falacioso da retórica ‘esquerdopata’. – É tudo culpa das emissões de gases causadoras do efeito estufa. Emissões essas, que por incrível coincidência, fazem parte da atividade capitalista de produção/exploração.

Mesmo as chuvas sendo a causa mais óbvia do aumento da temperatura da Terra, curiosamente os cientístas-profetas não haviam alertado sobre esse aspecto em nenhum momento, desde o início de 2007, período em que foi publicado o estudo da ONU que alertava o mundo para o perigo do capitalismo industrial e propagava a mudança imediata em todos os padrões culturais e de costumes da sociedade ocidental.

Alertava sim para o fim de milhares de espécies microscópicas e o comprometimento de ecossistemas o que poderia causar o desaparecimento de ilhas por conta da elevação dos oceanos (coisa que por sinal, ainda não foi constatada).

Para o inconveniente desespero maior dos seguros crentes na ciência da ONU, não há provas que liguem a elevação das temperaturas da Terra (nem a dos demais planetas o Sistema Solar, como já foi constatado), com a atividade industrial humana (Ver artigo: Onde está a Verdade Inconveniênte). O único fenômeno capaz de aquecer de fato o planeta ainda é a atividade solar e suas cotidianas explosões.

O que se tem dito, em outras palavras é que o desastre natural de SC tem causa humana, ou seja, as vítimas da catástrofe transformaram-se em vítimas do capitalismo, em mais uma das manobras para esmagar e oprimir ainda mais as classes desfavorecidas e desprovidas dos meios de produção. É inacreditável que se possa dizer isso sem enfrentar criticas nem objeções. Afinal, uma objeção destas seria politicamente incorreta.

Escritor, Jornalista e pesquisador de mídia, mestre em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Autor do livro “A Transformação Social: como a mídia de massa se tornou uma máquina de propaganda (Estudos Nacionais, 2016)” e colunista no site Estudos Nacionais e um dos fundadores da RádioVox. Colaborador do site Mídia Sem Máscara e aluno do filósofo Olavo de Carvalho desde 2009.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta