Fox News, pelo 17º ano consecutivo, é a TV a cabo número um entre americanos

Fox News

Talvez o público brasileiro não ouça muito o nome Fox News quando uma emissora brasileira faz uma reportagem sobre os Estados Unidos. As referências que lhes são passadas são quase sempre as mesmas: CNN, MSNBC, NBC etc. Em mídia escrita, o New York Times figura como o jornal modelo de informação e credibilidade. É navegar num mar em que as correntes só vão em uma direção. O telespectador, se for atento ao ver a mídia brasileira reportar os fatos vindos da américa, sempre tem a impressão de que as fontes de informação americanas fazem um só coro na orquestra.

O fenômeno é recorrente: parece que a CNN e suas irmãs dãos as mãos umas às outras e entregam um conteúdo jornalístico com alta dose de esquerdismo e demonização do Partido Republicano. Vem depois a mídia brasileira, pede permissão para ingressar nessa roda jornalística solidária, mastiga as reportagens tendenciosas que lhe são dadas e solta o bagaço, a sobra ao telespectador brasileiro, que aceita a informação estrangeira e canoniza a CNN ou o Times como a fonte oficial e infalível do jornalismo americano.

Há, no entanto, uma ovelha fora do rebanho: a Fox News.

Considerada como a única emissora conservadora na mídia mainstream dos Estados Unidos, Fox distancia-se da narrativa dominante das redações.

O ex-presidente Barack Obama, sentindo que a Fox News é o único reduto da grande mídia em que não há sossego para a esquerda, já chegou a dizer que, referindo-se a campanha presidencial de 2008, “eu nunca antes fui submetido ao tipo de difamação concentrada da Fox News, Rush Limbaugh, todo o ecossistema da mídia conservadora…”

 Outro aspecto curioso desse jogo de narrativas é a posição de liderança da Fox há quase duas décadas entre as concorrentes. Numa guerra assimétrica, onde há dezenas de adversários contra apenas um, a conclusão a que se poderia chegar é que quem luta sozinho perderia certamente. Não é o cenário aqui.

O Washington Times publicou ontem (29) uma reportagem onde mostra a incrível marca da Fox News: liderança na TV a cabo pelo 17º ano consecutivo, numa pesquisa feita pela Nielsen Media Research.

Suzanne Scott e Jay Wallace, CEO e presidente da Fox, respectivamente, disseram que “estamos entusiasmados em começar 2019 com um marco importante em marcar 17 anos consecutivos como a rede de notícias a cabo número um, devido em grande parte ao nosso público incrivelmente fiel. Nossa equipe de jornalistas e comentadores continuam a dominar a competição, provando mais uma vez serem os melhores do ramo.”

Por anos a Fox News foi presidida pelo lendário Roger Ailes, morto em maio de 2017. Muitos creditam a Ailes a distinção que a Fox representa no mercado jornalístico, pois ele tinha o faro de revelar grandes talentos conservadores que até hoje fazem sucesso no canal. Ailes foi consultor de mídia para os presidentes republicanos Richard Nixon, Ronald Reagan e George H. W. Bush.

Fox News no Brasil: apesar de ainda um sonho, é uma demanda crescente

No Brasil, o cenário mainstream do jornalismo é um pouco pior, em termos de concorrência à visão de esquerda que domina as redações. Não há “uma Fox News” por aqui e a narrativa dominante simplesmente transita sem resistência nos canais de televisão.

Nas redes sociais a demanda por uma Fox no Brasil é cada vez maior, sobretudo após a eleição de Jair Bolsonaro que acabou revelando o constante ressentimento da grande mídia, que não consegue esconder o lado que defende no jogo político.

A chegada de uma marca como a Fox News ajudaria a quebrar a hegemonia da narrativa e a estabelecer um contraditório que hoje praticamente inexiste nas redações jornalísticas dos grandes canais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *