Marcha de evangélicos e católicos protesta contra aborto, casamento gay e legalização da maconha

VEJA ON LINE | Cerca de 25 mil evangélicos e católicos ocupam o gramado em frente ao Congresso Nacional nesta quarta-feira para protestar contra a aprovação da chamada lei da homofobia, que coíba manifestações contrárias ao homossexualismo. Os manifestantes são contra vários itens do projeto e alegam que a medida cria um grupo privilegiado dentro da legislação brasileira e fere a liberdade religiosa.

Na chamada marcha da família, também se vê bandeiras contra o aborto, o casamento homossexual e a legalização da maconha. O pastor evangélico Silas Malafaia, um dos líderes da manifestação, foi enfático também ao criticar a decisão do Supremo Tribunal Federal que legalizou a união civil entre pessoas do mesmo sexo: “O STF rasgou a Constituição”.

Dezenas de deputados e senadores das bancadas católica e evangélica acompanharam a marcha. Entre os manifestantes, havia pessoas de diferentes partes do país. Eram famílias, grupos de estudantes e até integralistas.

Resposta – Por outro lado, um grupo de cerca de 30 homossexuais protestava contra movimento dos cristãos. Embora o grupo tenha ficado próximo à manifestação principal, e apesar de os gays terem usado algumas palavras ofensivas, não houve tumulto. “As religiões não devem inteferir nas políticas públicas. Os cristãos não têm esse direito”, disse a estudante Isabella Góes, de 20 anos, uma das líderes do movimento gay..

Guerra santa?

Uma verdadeira cruzada tem início no Brasil. Primeiro, a cruzada atéia para calar a opinião religiosa. Agora, a cruzada cristã pela livre expressão. Com dois mil anos de experiência comprovada em lidar com perseguição, os cristãos devem dar um banho. O Brasil conservador, sem representação política partirá para o contra-ataque? Só vendo.

Que Deus nos proteja e dê coragem aos cristãos do Brasil!

Escritor, Jornalista e pesquisador de mídia, mestre em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Autor do livro “A Transformação Social: como a mídia de massa se tornou uma máquina de propaganda (Estudos Nacionais, 2016)” e colunista no site Estudos Nacionais e um dos fundadores da RádioVox. Colaborador do site Mídia Sem Máscara e aluno do filósofo Olavo de Carvalho desde 2009.
2 respostas
    • Cristian Derosa
      Cristian Derosa says:

      A Inquisição criou as penitenciárias (vem de Penitência) porque antes disso era só pena de morte, mutilação ou escravidão. Ela julgou milhares de casos mas condenou poucos. Em 400 anos, a inquisição matou cerca de 20 ou 30 pessoas por que a justiça era lenta (pode culpar a Igreja pela lentidão da justiça, mas não por matar pessoas demais), já os países comunistas juntos mataram mais de 100 milhões de pessoas em 70 anos. Tem comparação? – Fontes: leia no minimo A Inquisição em Seu Mundo, de João Bernardino Gonzaga; e sobre o comunismo, o Livro Negro do Comunismo já é suficiente. Se quiser mais, procure que existe. Não se contente com o que o MEC te ensinou.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta