WASHINGTON – “Foi Hillary Clinton quem assinou um acordo no qual cedia a uma empresa russa um quinto do suprimento de urânio dos EUA”, disse o secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer.

Em um pronunciamento nesta segunda-feira (20/03/2017), Spicer encurralou os críticos de Trump que insistem em investigar o possível vínculo entre a Rússia e a campanha de Trump, mesmo sem qualquer evidência até o momento. O secretário ressaltou, portanto, que Hillary Clinton tem um histórico de envolvimento com o governo russo.

“Eles são muito claros sobre todas as preocupações que eles têm junto a lideranças do Partido Democrata, e ainda, quando são hackeados, eles são rápidos em apontar supostos responsáveis, mas não permitiram que o FBI investigasse”, disse Spicer.

“Quando você olha para a administração Obama e o envolvimento dos Clintons com a Rússia, em termos de doações que receberam de entidades russas… mas onde estava a preocupação com isso? O que estamos fazendo para investigar isso?”

“Foi a administração Obama que em 2009 falou com a Rússia com o desejo de redefinir os relacionamentos”, lembrou. O episódio ficou conhecido como “reset”, pois propunha “resetar” ou reiniciar do zero as relações entre os dois países.

E quanto ao acordo firmado sobre as reservas de urânio dos EUA, questiona: “Onde está a preocupação com Hillary Clinton?”

Ainda nesta segunda-feira, o chefe da N.S.A., Mike Rogers, informou que a agência não possui qualquer evidência de influência nos votos da eleição americana

Fonte: InfoWars.com – Tradução: blog Cidadão Sincero

Notícias, artigos e estudos sobre a realidade brasileira e o contexto internacional. Selo editorial especializado em comunicação, sociologia e história recente do Brasil.