Notas sobre ambientalismo e ciência

O CONTROLE

O pensamento ecológico diz: o homem se imaginou dono do mundo por meio da técnica e não pensou nas consequências e responsabilidades inerentes à manipulação da natureza. É verdade. Mas se a culpa é do pressuposto do controle técnico os ambientalistas não o contestaram e se imaginaram em um patamar ainda mais alto quando se colocam como arautos do equilíbrio cósmico por meio dessa alavanca mestra que creem ser a técnica, a mesma que culpam. Mais do que isso: ambicionam um controle que vai abranger muito mais do que a manipulação física da natureza, mas a reconstrução das mentes para uma nova sociedade através da confiança em suas crenças de controle cultural. Impossível não perceber que eles ambicionam muito mais do que os “donos do mundo” que criaram a suposta “crise ecológica”.

O EQUILÍBRIO

O que o ambientalismo prega é a restauração do equilíbrio da natureza mediante a ação humana. Há dois pressupostos possíveis que antecedem esta missão sagrada e que a tornam sem sentido: ou o homem está FORA dessa natureza e por isso pode conhecer o eixo do equilíbrio e agir sobre ele alterando-o (seria equivalente a Deus); ou o homem está DENTRO dessa ordem natural e por isso não pode conhecer de fora este equilíbrio agindo sobre algo que não entende e não podendo portanto jamais prever as consequências da sua ação. Historicamente houve quem acreditasse nessa missão mas ela viria pelas mãos de uma raça superior e segundo alguns era extraterrestre.

Escritor, Jornalista e pesquisador de mídia, mestre em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Autor do livro “A Transformação Social: como a mídia de massa se tornou uma máquina de propaganda (Estudos Nacionais, 2016)” e colunista no site Estudos Nacionais e um dos fundadores da RádioVox. Colaborador do site Mídia Sem Máscara e aluno do filósofo Olavo de Carvalho desde 2009.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta