Mulher é presa na Inglaterra por chamar um ativista transgênero de “homem”

Christopher Furlong/Getty Images

Insanidade institucionalizada: a polícia britânica prendeu uma mulher, na frente de seus filhos, após ela ter chamado um ativista transgênero de “homem”, em uma discussão no Twitter. O juíz do caso deferiu uma liminar em favor do ativista, proibindo a mulher de se referir à “antiga identidade masculina” da pessoa.

Kate Scottow, de 38 anos e residente na cidade de Hertfordshire, disse que foi presa em casa por três policiais, na frente da filha autista de dez anos e do filho recém-nascido, conforme reportagem do Daily Mail.

O motivo da apreensão foi que Scottow errou o gênero de uma pessoa no twitter, equiparando-se tal conduta a assédio e “comunicação maliciosa”.

“Fui então detida por sete horas em uma cela sem produtos sanitários”, afirmou Kate Scottow.

O Daily Mail disse que a polícia de Hertfordshire confirmou a detenção da mulher, sob a justificativa de que “levamos todos os relatos de comunicação maliciosa a sério”.

A contenda começou porque Scottow questionou o ativista transgênero Stephanie Haydena a respeito da possibilidade de pessoas legalmente poderem trocar de sexo por escolha pessoal, sem nenhuma prescrição médica. Kate Scottow acabou, então, dirigindo-se ao ativista como “homem”.

Stephanie Haydenna foto de seu perfil no twitter.

Stephanie Haydena já participou de outras polêmicas, conforme informou o Breitbart. Ano passado Haydena disse que iria processar o comediante Graham Linehan, pois ele a tinha chamado pelo nome masculino de nascimento; Haydena ameaçou: “isso é uma violação grosseira da minha privacidade e quem fica sabendo dessas informações sobre mim … eu estou bem preparado para recorrer à lei se as pessoas cruzarem esta linha.”


 
 

2 thoughts on “Mulher é presa na Inglaterra por chamar um ativista transgênero de “homem”

  1. Inacreditável que até a pessoa a que escreveu a matéria tratou a mulher transgênero no masculino: ” “O” ativista?” A ativista, UMA ativista.

  2. É por isso que falo, more na Europa, melhor lugar. Ah, e só uma dica, da próxima vez que citar uma pessoa transgênera, utilize os pronomes corretos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *