O que precisa acontecer para Bolsonaro vencer em primeiro turno?

O que precisa acontecer para Bolsonaro vencer em primeiro turno?

03/10/2018 0 Por Leonardo Fabri

Iniciamos a semana das Eleições 2018 com as pesquisas eleitorais Ibope e Datafolha apresentando o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com mais de 30% das intenções de voto para presidente, mesmo após o presidenciável ter sido alvo de ataques recebidos de parte da imprensa, além de seus concorrentes e da esquerda militante – incluindo alguns artistas – na malfadada campanha #EleNão.

O movimento encabeçado por feministas acabou por favorecer Bolsonaro que cresceu 6 pontos entre as mulheres de acordo com a última pesquisa Ibope. Além disso, ele também cresceu junto aos eleitores mais pobres e do Nordeste, segundo o mesmo levantamento.

A partir do crescimento acentuado de Jair Bolsonaro, passou-se a cogitar mais seriamente a possibilidade do candidato do PSL “liquidar a fatura” já no primeiro turno. De acordo com a ferramenta APP18 (Atlas Poll of Polls 2018), desenvolvida pela consultoria Atlas Político, que calcula a média das pesquisas eleitorais, Bolsonaro soma hoje 28,5% dos votos totais em média. Dependendo do índice de abstenção, que foi de 29% em 2014 (somando os que não compareceram, os que votaram branco e os que anularam o voto), um candidato poderia vencer a eleição com 35% dos votos totais caso haja uma taxa de abstenção maior neste pleito, isso segundo o cientista político Lúcio Rennó.

“Ela ocorre principalmente em estados com a renda média familiar per capita baixa. Isso tem correlação alta de voto nos estados com o PT. Esse é outro elemento que nenhuma pesquisa está captando e que numa eleição tão apertada pode dar surpresa na hora da apuração. É difícil prever a abstenção. E não é trivial o efeito. Se sobe mais, com 35% dos votos totais um candidato pode se eleger no 1º turno.” Lúcio Rennó, em entrevista à coluna de Miriam Leitão no jornal O Globo.

É válido lembrar também que nas únicas eleições vencidas em primeiro turno, ambas por Fernando Henrique Cardoso, os índices de abstenção foram os mais elevados desde 1989: o índice foi de 33,3% em 1994 e de 40,2% em 1998.

Levando em consideração todos esses dados, podemos considerar que Jair Bolsonaro não está muito distante da vitória em primeiro turno. Ele precisaria hoje crescer em torno de 5 à 7 pontos percentuais nos votos totais para vencer a corrida presidencial.

Ainda há a possibilidade da migração de votos dos eleitores de Geraldo Alckmin, João Amoêdo, Álvaro Dias e Henrique Meirelles. Segundo o colunista Filipe G. Martins do Senso Incomum, se 40% desses eleitores optassem pelo voto útil em Bolsonaro contra o PT, seria o suficiente para eleger o capitão.

“[…] se 40% dos eleitores que pretendem votar em Alckmin, Amoêdo, Alvaro Dias e Meirelles fizerem um voto útil em Bolsonaro, o PT será derrotado e humilhado no 1° turno” Filipe G. Martins, em publicação no Facebook.