Apple remove aplicativo cristão depois de queixa de ativistas LGBT

Bol

O Truth Wins Out, um grupo de ativistas LGBT, convenceu a empresa Apple de remover um aplicativo cristão, argumentando que o “app era perigoso, intolerante e odioso.”

 Na petição em que fez o pedido de retirada, o grupo disse que “o aplicativo retrata falsamente que ser gay é um vício, doença e pecado.”

 O criador do aplicativo foi a igreja Living Hope Ministries of Arlington, localizada no estado americano do Texas. Desapontado com a censura que lhe foi imposta, Ricky Chalette, diretor executivo do ministério, soltou uma nota dizendo que:

“Estamos tristes com a remoção, pela Apple e Microsoft, do nosso aplicativo por causa de falsas acusações de uma única pessoa. Independentemente de suas decisões, continuaremos a disponibilizar o aplicativo e nossos serviços para aqueles que os procuram… Ajudamos as pessoas a aprofundar seu relacionamento com Jesus Cristo através do estudo e responsabilidade bíblica. Caminhamos com eles para alinhar suas vidas com os ensinamentos de Jesus Cristo. Através de grupos de apoio eles percebem que não estão sozinhos e são capazes de compartilhar honesta e abertamente em um atmosfera não-condenatória sobre suas lutas, paixões e vitórias… Em um dia em que a diversidade e a tolerância são celebradas, espero que isso seja estendido a questões de fé e prática dela. (grifo nosso).

Num trecho da petição os ativistas foram enfáticos: “vamos exigir que a Apple faça a coisa certa novamente, então a juventude LGBT não será atormentada por doidos e fanáticos por ódio.”

Wayne Besen, diretor executivo do Truth Wins Out, disse: “agradecemos à Apple por exemplificar a responsabilidade corporativa e tomar medidas rápidas para remover um aplicativo perigoso que estigmatiza e rebaixa as pessoas LGBT.”

Recentemente a atriz canadense Ellen Page veio a público condenar o seu colega ator Chris Pratt por frequentar uma igreja que “viola os direitos LGBT”.

Chalette acrescentou que pretende recorrer à justiça para reverter a decisão da Apple.


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *