Santos Cruz tentou invalidar ordem de Bolsonaro sobre comercial do BB

Sérgio Lima/Poder360 - 15.jan.2019

Após a ordem de Bolsonaro ao presidente do Banco do Brasil para cancelar o comercial LGBT que estava fazendo, o general Santos Cruz teria dito ao responsável pelo BB que a ordem do Presidente não tinha validade, pois não estava amparada pela Constituição. Esta informação é do site O Antagonista. Devemos acreditar no site?

O site O Antagonista está claramente alinhado a Santos Cruz, assim como estava com Bebianno, segundo a hipótese lançada ontem aqui nesta coluna. Mantendo essa linha de raciocínio, a insubordinação do general ao Presidente no caso do comercial do BB pode ter sido encarada como algo que pesa positivamente sobre o general, um conciliador nato e defensor da Constituição. A fonte, neste caso, torna-se insuspeita.

Diante de tantas traições cometidas pelo general, não nos é possível duvidar dessa informação. Até porque a divulgação dela reforça, para os críticos de Bolsonaro, a sua imagem como um insubordinado à Constituição, um infrator das regras, da boa política etc, enfim, exatamente a imagem útil à grande mídia que quer manter as verbas da Secom, agora a cargo do general que diz ser “alvo” de uma campanha de difamação.


 
 

5 thoughts on “Santos Cruz tentou invalidar ordem de Bolsonaro sobre comercial do BB

    1. Bebiano está atrás dos bastidores dramando com a eaquerda para derrubar o presidente. Colado com Maia, e outros.

  1. Ô Santos Cruz:

    Cadê o ressarcimento aos cofres públicos?

    Publicidade federal para mídia alternativa vai a R$ 9,2 milhões em 2014 – (Fernando Rodrigues/UOL – 02/07/2015)

    Estatais fornecem 91% do dinheiro para esse setor da mídia

    Aumento total de 2013 para 2014, ano eleitoral, foi de 33,3%

    https://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2015/07/02/publicidade-federal-para-midia-alternativa-vai-a-r-92-milhoes-em-2014

    Propaganda de banco estatal, que nem deveria ser exibida, é para mostrar os serviços e as taxas que o banco oferece, e não VIADAGEM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *