Antecipada a campanha de vacinação contra a gripe em 2019

Foto: Governo do Estado de São Paulo

Campanha de vacinação contra a gripe está prevista para ter inicio entre os dias 10 de abril e 31 de maio. Entretanto, no estado do Amazonas a campanha terá início na próxima semana, tendo em vista que já se contabilizaram 24 mortes por causa do vírus Influenza.

O Amazonas é o mais afetado pelo vírus, representando 63% dos casos de dengue no Brasil.

No ultimo dia 14, por meio de vídeo em uma rede social, o presidente Jair Bolsonaro comunicou a antecipação. É esperado que cerca de 1 milhão de vacinas cheguem a Manaus nos próximos dias. As vacinas serão inicialmente para crianças e gestantes, passando em seguida para as outras pessoas preferenciais e de maior risco da doença, tais como: gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, idosos, crianças de até 6 meses e menores de 5 anos, professores e profissionais da saúde, indígenas e presidiários.

A solicitação ao Instituto Butantan precisou ser feita em fevereiro para que esta ação fosse realizada.

Como funciona a vacinação

Muitas dúvidas e polêmicas surgem quanto à segurança e o modo como as vacinas são produzidas. O biomédico mestrando em Biologia Molecular, Matheus Moreira Perez, em entrevista, explicou:

“Existem vários tipos de vacinas, como para bactérias, vírus e protozoários. A maioria é viral. Dentro dessas, a maioria utiliza o próprio vírus, desfragmentado (inativo) ou atenuado (vivo). Alguns tipos são produzidos em ovos de galinha contra a gripe, por exemplo. Estas podem desencadear uma reação alérgica em quem tem alergia a ovo“, explica Perez.

Já o pediatra Celso Augusto Pupo, em entrevista especial para Estudos Nacionais, explicou que as vacinas produzidas em laboratório são testadas primeiro em animais e depois em seres humanos. A vacina é aprovada mediante a produção de anticorpos para aquela doença. Então se a vacina for capaz de fazer o organismo produzir esses anticorpos necessários, ela é aplicada em seres humanos.

Como o corpo humano possui uma memoria imunológica, geralmente as vacinas são para sempre. Algumas vacinas é preciso tomar mais de uma dose para que elas estimulem um pouco mais a capacidade imunogênica do organismo.

Então, quando uma vacina é liberada para a população elas são absolutamente seguras.” Afirma Pupo.

Celso Pupo ainda exclama indignado:

“Eu acho um contra senso absurdo uma mãe não levar uma criança para vacinar por achar que vai fazer mal ou que não tenha nenhuma validade.” 

Ele reforça a exclamação explicando que é justamente por conta dessa mentalidade que algumas doenças consideradas extintas no país estão voltando.

Celso explica ainda que no caso do Sarampo, devido a entrada de venezuelanos no Brasil, que já estão vacinados, e devido ao pensamento do brasileiro citado acima, houve uma baixa cobertura vacinal aqui no Brasil.

“As crianças estavam vulneráveis a esta doença”, afirmou.

Verifique os postos de saúde mais próximos e fique atento as datas de vacinação e se você se enquadra no grupo de risco ou preferencial.


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *