Olavo de Carvalho sofre campanha coordenada de censura nas redes sociais

Olavo de Carvalho sofre campanha coordenada de censura nas redes sociais

15/08/2018 10 Por Estudos Nacionais

A menos de dois meses da eleição presidencial, o filósofo Olavo de Carvalho, responsável pelo surgimento de um movimento conservador que apoia Jair Bolsonaro nas redes sociais, foi vítima de uma sequência coordenada de bloqueios em seus perfis e páginas e até mesmo na sua conta do Paypal, por onde recebe pagamento de seus cursos.

Em um vídeo disseminado pelas redes sociais de seus alunos, Olavo de Carvalho denuncia o esquema coordenado de censura, ocorrido logo após a reedição de um de seus livros mais vendidos O imbecil coletivo, pela Record, que alcançou o primeiro lugar em vendas na Amazon, antes mesmo de ser lançado.

Em meio ao início da campanha eleitoral, na qual o candidato apoiado por ele, Jair Bolsonaro, detém maioria nas intenções de voto principalmente nas redes sociais, outros fatos se acumulam em um contexto desconfortável para a esquerda que domina a grande mídia, parceira estratégica do Facebook.

Livro de historiador desmoraliza Comissão da Verdade

Outro fato que Olavo relaciona ao desejo de censura na internet pela esquerda são as recentes revelações do livro do historiador Hugo Studart, intitulado Borboletas e Lobisomens – Vidas, Sonhos e Mortes dos Guerrilheiros do Araguaia (Editora Francisco Alves, 2018). O livro conta, entre outras coisas, que guerrilheiros dados como mortos sobreviveram com identidades falsas, apesar de suas famílias terem recebido o direito a indenizações pela Comissão da Verdade.

Assista o vídeo de alerta publicado por Olavo de Carvalho:

As redes sociais não dão mais conta de garantir a disseminação de informações na internet. Para garantirmos a comunicação efetiva, passaremos a enviar e-mails periódicos com os principais lançamentos e publicações dos Estudos Nacionais. Não se preocupe, não faremos envios diários para lotar sua caixa de entrada.