Cristão ou ateu, quente ou morno e a estratégia das tesouras

Cristão ou ateu, quente ou morno e a estratégia das tesouras

29/08/2018 0 Por João Carlos Biagini

O Brasil está vivenciando uma época de muita confusão de ideias. De uns tempos para cá, muitas ideias contraditórias foram lançadas para confundir os pensamentos e o raciocínio lógico das pessoas. Muitos brasileiros repetem palavras de ordem sem saber os objetivos ou consultar as fontes de conhecimento.

No caso dos assassinatos, por exemplo, as vítimas e suas famílias são ignoradas, deixadas ao léu. Em compensação, os presos e suas famílias são beneficiados com muitas vantagens. Há um desequilíbrio dos direitos: enquanto um pai de família assassinado desaparece do mundo dos vivos, deixando a família desamparada, o assassino pode cumprir um terço da pena e tem vários tipos de atendimento.

A pena deveria ser integralmente cumprida pelo criminoso para buscar alguma equivalência com a pena de morte dada ao pai de família assassinado, à mulher ou ao jovem com suas vidas interrompidas para sempre. É certo que nunca será possível alcançar essa equivalência, pois a vida do assassinado jamais voltará e o criminoso continuará vivendo.  Os criminosos deveriam cumprir toda a pena e indenizar as vítimas. O Cardeal Dom Eugênio Salles, já contando 90 anos e de saudosa memória, com sua infinita sabedoria, disse: “Bandido tem direitos humanos, mas não o direito de ser bandido”.

O exemplo pode ser o motor da logica dos votos nas próximas eleições para deputados, senadores e presidente da república. Os cristãos precisam eleger cristãos verdadeiros.

Nos últimos anos tivemos na presidência da república Fernando Henrique Cardoso – FHC – (1995/2003), Lula (2003/2011) e Dilma (2011/2016), todos defensores dos ideários comunistas ou socialistas.  A grande maioria dos eleitores brasileiros foi enganada pela inteligência e habilidade dos marqueteiros através propaganda política, que apresentava pessoas maravilhosas, que buscavam o bem comum.  Nada disso!  Buscavam a implantação de seu ideário comunista ou socialista e a manutenção do poder em suas mãos.  Não foi à toa que FHC se empenhou na mudança da Constituição para obter a reeleição. Ele foi reeleito, Lula foi reeleito e Dilma foi reeleita.

Todos eles defendem a liberação das drogas, a descriminalização do aborto, o casamento homossexual e outras posições contrárias à Doutrina Cristã. Até disseram que eram cristãos e comungaram na Igreja Católica, mas, no governo, fizeram tudo contra. Até perseguiram pastores e bispos que se arriscaram a falar contra a ideologia de gênero, o casamento homossexual, o aborto, a liberação das drogas, o feminismo e todo o ideário que dividiu destinado a dividir o povo brasileiro em classes.

No caso de segundo turno para a eleição presidencial, mostrando que fizeram teatro nesses anos todos para aparentar serem adversários políticos, já declaram que se juntarão. Todos os comunistas, socialistas e de outras ideologias de esquerda se juntarão contra o candidato cristão, que respeita e obedece à Doutrina Cristã.

Mais do que nunca essa união entre as diferentes alas progressistas demonstra como funcionou a estratégia das tesouras, que fizeram com que boa parte dos brasileiros tivesse que votar pelo mal menor, por décadas.

Nestas eleições, pela primeira vez, os cristãos terão a possibilidade de escolher entre um país cristão e livre, governado por um cristão, ou continuar com aqueles que têm somente sede de poder, que chafurdaram no dinheiro do povo e fazem tudo contra o Evangelho.

“Assim, porque és morno, nem frio nem quente, estou para te vomitar de minha boca” (Ap 3, 16). Os cristãos verdadeiros votarão em cristãos ou ateus?  Votarão em candidatos quentes ou mornos? Os cristãos serão quentes ou mornos?