Ativistas atribuem a crise iniciada em 2014 à gestão Temer iniciada em 2016

Apesar do Brasil viver a maior crise de sua história, alguns sites veem os cortes orçamentários feitos pelo Governo Temer sem qualquer relação com o descontrole de gastos da gestão de Dilma.

Diversos sites brasileiros têm reportado uma notícia divulgada no site da revista científica Nature. A notícia no site da Nature (03/04/2017), fala sobre os recentes cortes orçamentários feito pelo governo brasileiro na educação.

Apesar da matéria deixar claro que a situação do Brasil é a pior recessão de toda a sua história, e que a crise iniciou em meados de 2013 e 2014, a interpretação de alguns sites brasileiros é de que o governo Temer seja o principal responsável.

A matéria em inglês enfatiza, porém, que os cortes no orçamento da educação vêm ocorrendo desde 2014. Na lista de matérias relacionadas à esse assunto, no site da Nature, há uma outra matéria publicada em 2015.

A notícia de 30/09/2015 mostra que desde 2013 o Brasil vêm sofrendo desaceleração econômica e portanto a partir de 2014, cortes no orçamento da educação.

O artigo cita ainda, que o orçamento proposto pela então presidente Dilma para 2016 “apenas piora a situação que já estava ruim”. Pois depois da Presidente Dilma ter feito corte de R$ 2 bilhões de reais em maio de 2015, cortou 24% o orçamento de 2016 (orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI).

Um dos cientistas brasileiros entrevistados na matéria de 2015 comentava “Alguns institutos federais não tem dinheiro para pagar nem as despesas básicas como eletricidade e serviços de limpeza”. E completa, que até setembro de 2015, institutos federais não haviam recebido nem 50% dos recursos que lhes havia sido destinado naquele ano.

Diversas conferências internacionais haviam sido canceladas, segundo informou um acadêmico da Universidade Federal de Minas Gerais, em 2015.

O artigo de 2015 traz uma grande lista de fatos que demonstra a trágica situação de crise financeira e cortes sucessivos no orçamento da educação em 2014 e 2015. No final do artigo, finaliza dizendo que a desaceleração econômica, sem sinais de recuperação, demonstravam que a situação deveria piorar ainda mais nos próximos anos. O pessimismo que tinham na época sobre a situação econômica durante o governo Dilma demonstrou-se procedente. De fato a situação já era grave 4 anos atrás.

Apesar de estarmos cientes em 2015 sobre um péssimo prognóstico econômico, e dos prognósticos de cortes para os próximos exercícios fiscais, muitos ficaram surpresos com os cortes que ocorreram. Além disso, hoje alguns têm demonstrado incertezas sobre a causa do problema econômico.

O site FalandoVerdades.com.br, traz como título do artigo de 05 de abril de 2017 “Principal revista científica do mundo diz que Temer e PSDB destruíram Ciência Brasileira”.

Essa informação não consta no site da revista Nature. Por outro lado, a notícia no site da Nature deixa claro que trata-se de uma situação que vêm se agravando há alguns anos. Ainda que tivesse sido dito, não se trata de uma publicação de um artigo científico na revista Nature, mas sim uma matéria publicada na área de notícias do site da revista. O nome do site e a grosseira mentira apresentada no título do artigo demonstram canalhice sem tamanho.

Outros sites trouxeram matérias semelhantes, como o LivrePensamento.com, que traz o título “Temer e o golpe contra a ciência”.

No site do LivrePensamento há um texto ainda mais deturpado. Segundo o site, “A revista de divulgação científica mais respeitada do mundo, a Nature, acaba de publicar um artigo onde destaca o horror da comunidade científica com a destruição total promovida pelo regime Temer.”

Não muito diferente foi a manchete do site Brasil247, que em meio há diversos banners de propaganda que o site cultiva, diz em seu título que a Nature publicou que o Temer destruiu a ciência brasileira.

Preocupação com a verdade

A era da informação trouxe talvez uma das mais terríveis guerras da informação da história.   O jogo é claramente manipular a informação de acordo com seus interesses. As notícias têm suas redações e interpretações adulteradas valendo-se da certeza de que a maioria esmagadora dos leitores não farão uma análise mais apurada e não farão consultas na fonte primária. Alguns distorcem um pouco a informação original, outros transformam em outra informação completamente diferente, distanciando-se gravemente da realidade dos fatos.

Temos visto as mesmas estratégias sendo usadas pela grande mídia em muitas questões diferentes. Preocupa muito o resultado dessa guerra.

 

Informações:

Notícia site Nature – Crise econômica (2015)

Notícia site Nature – Cortes na Educação (2017)

Notícia no site “Falando Verdades”

Notícia no site “Pensamento Livre”

Notícia no site cheio de propagandas – “Brasil 247”

Pesquisador independente e tradutor, escreve e coordena pesquisas para o site EstudosNacionais.com. Desenvolve projetos editoriais na editora Estudos Nacionais e Livraria Pius.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta