Você acharia justo matar uma criança dormindo?

Por Dr. Luis Antonio do Nascimento, pediatra.

Todos nós já fomos seres humanos unicelulares…

O valor da vida humana não pode ser medido pelo tamanho ou fase de desenvolvimento.

É vivo. É humano.

Um zigoto se tornará um blastocisto, um embrião, um feto, um neonato, um lactente, um pré-escolar, um escolar, um adolescente, um adulto e finalmente um ancião.

Basta que sua Vida não seja interrompida em nenhuma destas fases pela morte.

Eu já tive apenas uma célula, ainda assim eu já era humano.

Como eu deveria parecer em meu primeiro momento de existência?

O que seria de mim e de meus filhos se neste primeiro momento eu tivesse sido destruído?

Alguém poderia dizer que qualquer célula humana é viva e humana, porém as células que compõem nossos corpos são especializadas e não evoluirão para um novo ser humano.

Um espermatozoide se degenerará e será reabsorvido se não encontrar um ovócito. O mesmo acontecerá com o gameta feminino se não for fecundado.

Mas o zigoto, resultado da fecundação do gameta feminino pelo masculino, marca o início de todos nós.

É vivo. É humano. Tem toda uma existência pela frente, com sonhos e realizações.

Não importa se é consciente. Não importa se sente dor.

Não estar consciente ou não sentir dor não são condições que permitam ser morto. Ou bastaria anestesiar a vítima antes de matá-la. Ou um tiro certeiro no cérebro enquanto a vítima dorme.

Comparar um ser humano em estágio embrionário a uma pessoa em morte cerebral é de uma imprecisão tão grave que beira a má fé.

Uma pessoa em morte cerebral está no final de sua vida. Seus órgãos e sistemas em breve entrarão em colapso, morrendo de fato. Isto é inexorável e nada há que possa ser feito para evitar.

Ao contrário, um embrião está com seu sistema nervoso em rápido desenvolvimento.

O cérebro do embrião não está morrendo, ele está nascendo!

O embrião tem toda uma existência pela frente, nunca poderia ser equiparado a uma pessoa em morte cerebral.

No máximo poderia ser comparado a uma criança dormindo.

Você acharia justo matar uma criança dormindo?


Luis Antonio do Nascimento, pediatra.


 
 

2 thoughts on “Você acharia justo matar uma criança dormindo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *