Trump promete vetar leis abortistas: “toda criança é um sagrado presente de Deus”

Breitbart

O presidente americano Donald Trump gravou um vídeo especialmente feito para o evento March For Life (Marcha Pela Vida), que aconteceu em Washington, D.C., na última sexta-feira (18).

Neste ano o movimento comemora 45 anos, sempre levando a mensagem antiaborto como sua bandeira.

No vídeo endereçado à multidão, Trump disse que “se eles enviarem alguma legislação à minha mesa que enfraqueça a proteção da vida humana, eu vou emitir um veto e nós temos o apoio para defender esses vetos.” E acrescentou: “toda criança é um sagrado presente de Deus.”

O Vice-presidente Mike Pence chamou Trump de campeão na pauta antiaborto e o elogiou dizendo que “o presidente Donald Trump é o presidente mais pró-vida da história americana.”

Confira o vídeo:

Desde quando tomou posse, Trump tem tido sorte no freio da agenda abortista que é levada à frente pelo Partido Democrata. Durante os dois primeiros anos de sua presidência, o presidente deteve o controle das duas casas legislativas (Senado e Câmara dos Representantes). Com a perda da maioria na Câmara após as eleições de novembro passado, resta-lhe ainda o Senado para barrar legislações pró-aborto vindas da outra casa.

Contudo, a verdadeira vitória antiaborto ficou mesmo na Suprema Corte. Ainda durante a campanha presidencial, houve lá a vacância de uma cadeira com a morte do juiz Antonin Scalia, indicado pelo presidente Ronald Reagan nos anos 80 e visto como um juiz extremamente conservador na interpretação da constituição. Após preencher a vaga de Scalia, Trump ainda teve outra grande oportunidade quando o juiz Anthony Kennedy anunciou sua aposentadoria da Suprema Corte em junho de 2018. Com duas cadeiras preenchidas por juízes com tendência conservadora, o presidente pôde atrair o balanço da Suprema Corte a seu favor, evitando o ativismo judicial que é característico de juízes indicados por presidentes do Partido Democrata e que tende a expandir a agenda do aborto fora do poder legislativo, via decisões judiciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *