Trauma pós-aborto em homens: um sofrimento silencioso

Trauma pós-aborto em homens: um sofrimento silencioso

27/02/2018 0 Por Marlon

No Canadá, um homem pode ser preso se tentar impedir a mulher de abortar seu próprio filho. O drama do trauma pós-aborto, nos homens, é uma realidade muitas vezes invisível no contexto da militância feminista. Este trauma pode ocorrer quando a mulher decide abortar contra a vontade do pai da criança, mas também quando o homem participa da decisão

Em um clima de debate sobre aborto em que o movimento pró-escolha impede o homem de se manifestar que não seja de maneira favorável à legalização, será que é possível falar sobre a realidade dos homens que sofrem de traumas pós-aborto?

O tema pode surpreender o senso comum, mais acostumado às referências ao drama feminino. O trauma masculino, porém, é uma realidade e assim como os abortos forçados e a seleção sexual por aborto, o drama de homens que não desejam ter seus filhos abortados, ou que se arrependem do aborto, existe e é grave. Embora não passem pela experiência do procedimento, o trauma representa um perigo real. A identificação entre pai e filho existe desde as primeiras semanas de gestação e a interrupção desta pode trazer impactos significativos na saúde mental. Destaquemos um testemunho:

“quando soubemos que ela estava grávida ela disse que minha decisão era muito importante. Eu falei que queria continuar com aquela gestação e que daria todo o suporte para ela e o bebê (…) Ela admite que viverá para o resto de sua vida com o sofrimento daquela decisão mas ela se recusa a falar com qualquer pessoa sobre o assunto”.

Infelizmente, testemunhos como esse não são uma realidade tão rara quanto se imagina. Nos países em que o aborto é legalizado, os homens não têm recursos legais para evitar que seus filhos sejam abortados quando a mulher deseja fazer o aborto. Muitos acabam silenciando sobre o assunto ou aceitam o aborto por coação, pressão e falta de alternativas, mostrando que a realidade do aborto forçado ocorre tanto contra a vontade mãe quanto do pai.

Consequências do aborto para o homem

Um artigo publicado no LifeSiteNews mostra o drama de um homem que tentou inutilmente salvar a vida de seu filho contra a decisão da mãe de recorrer ao aborto. Refugiado de Honduras, vivia no Canadá temporariamente, onde o aborto é legalizado. Ao pedir auxílio, ele foi informado de que as leis do Canadá não só permitiam o aborto por exclusiva decisão da mulher como a protegiam de tal forma que ele mesmo poderia ser preso ou deportado caso tentasse impedir o aborto de seu filho.

Um caso noticiado no jornal The Telegraph Observer conta a tragédia do homem, de 44 anos de idade, que cometeu suicídio em frente a uma clínica Planned Parenthood, em Overland Park, em 2002. Outro caso de suicídio foi registrado no LifeSiteNews, onde o homem de 39 anos de idade cometeu suicídio após sua namorada decidir pelo aborto de seu filho.

Não há como negar ou rejeitar estes casos. Um artigo recente no The Daily Telegraph, da Austrália, reconhece a existência desses traumas e de que muitos homens chegam a cometer suicídio por conta disso. Além disso, “traumas pós-aborto frequentemente destroem relacionamentos”, completa o artigo.

Projetos e iniciativas atuam no tratamento de traumas pós-aborto em homens

A magnitude dos traumas e a prevalência dessa ocorrência pode ser bem ilustrada pela quantidade de organizações dedicadas a tratar e apoiar homens com trauma pós-aborto.

O site PostAbortionHelp.org organiza eventos nos Estados Unidos para dar apoio psicológico e espiritual para homens que sofrem do trauma pós-aborto, tamanha é a significância deste problema social e de saúde pública.

O site SilentNoMoreAwareness.org é outro que concentra diversos testemunhos de homens que experienciaram grande sofrimento por conta do aborto, além de realizar eventos de orientação tanto nos Estados Unidos, Canadá e em outros países, contendo uma agenda frequente de eventos nos EUA e Canadá. O site Men and Abortion também apresenta soluções de aconselhamento para homens com trauma pós-aborto.

Outros sites do gênero são: PlaceToRemember e o Reclaiming Fatherhood (Chicago), que também apresenta depoimentos de vítimas. Há também uma área específica do site TheUnchoice sobre esses casos TheUnChoice.com/Men, e no site do projeto RachelsVineyard.org relacionando diversos artigos e informações relevantes.

Livros e pesquisas científicas sobre trauma pós-aborto em homens

Embora existam mais pesquisas analisando o trauma pós-aborto em mulheres, o número de livros e pesquisas sobre o trauma pós-aborto em homens já é significativo.

LIVROS

Redeeming A Father’s Heart: Men Share Powerful Stories of Abortion Loss and Recovery Paperback – May 24, 2007. (disponível na amazon)

Fatherhood Aborted Paperback – May 11, 2001. (disponível na Amazon)

Men and Abortion: A Path to Healing Paperback – September, 1999 (disponível na Amazon)

Healing a Father’s Heart: A Post-Abortion Bible Study for Men Paperback – November 1, 1996. (disponível na Amazon incluindo versão Kindle)

Breve resumo dos livros disponível em inglês no link site PostAbortionHelp.Org

ARTIGOS ACADÊMICOS

A Thematic Analysis of Men’s Experience With a Partner’s Elective Abortion.
Catherine T. Coyle, PhD, 2015. (Link par o artigo)

New Research Concerning Men’s Disclosure of Their Abortion Experience (Download PDF)
Catherine T. Coyle, PhD & Vincent M. Rue, PhD

Men’s Perceptions Concerning Disclosure of a Partner’s Abortion: Implications for Counseling (Download PDF)
Catherine T. Coyle, PhD & Vincent M. Rue, PhD

Men and Abortion: Psychological Effects (with table) (Download PDF)
Catherine T. Coyle, RN, PhD

Palestras sobre os impactos do aborto na saúde mental de homens, por Kevin Burke

Um panorama amplo sobre esse tópico é apresentado pelo Dr. Kevin Burke, responsável por essa frente de trabalho no Projeto Rachel’s Vineyard, que atua em 49 estados dos EUA:

[av_video src=’https://www.youtube.com/watch?v=s71LtAHK86k’ format=’16-9′ width=’16’ height=’9′]

O Dr. Kevin Burke fala, em outro de seus vídeos, em inglês, sobre comportamento suicida em homens traumatizados pela experiência do aborto.

[av_video src=’https://www.youtube.com/watch?v=DyBP2cbcJKQ’ format=’16-9′ width=’16’ height=’9′]

Arrependimento pós-aborto e o caso de Steven Tyler, da banda Aerosmith.

A história do cantor Steven Tyler ficou relativamente conhecida nos Estados Unidos. Por conta de sua carreira o cantor e sua ex-namorada Julia Holcomb decidiram recorrer ao aborto tardio, em uma gestação de cinco meses. “Nosso relacionamento nunca mais foi o mesmo”, descreveu Julia. O cantor também se pronunciou e disse que ter feito o aborto foi “devastador”, representando “uma grande crise”.

A história é contada em detalhes pela ex-namorada de Tyler no vídeo abaixo:

[av_video src=’https://www.youtube.com/watch?v=kwwmiiyNbps’ format=’16-9′ width=’16’ height=’9′]

 


Informações:

Coyle e Rue (2015). A Thematic Analysis of Men’s Experience With a Partner’s Elective Abortion.

LifeSiteNews – Why I don’t want work on the front lines

LifeSiteNews – Dad commits suicide after girlfriend threatens abortion (Pai comete suicídio após sua namorada informar sobre aborto)

The Daily Telegraph Austrália

AfterAbortion.org – evento para tratamento pós-aborto para homens

TheUnchoice.com. Later Abortions More Likely to Be Unwanted, Are Linked to Psychological Problems.

By Randall K. O’Bannon, NRL Director of Education & Research, 2016. Research reveals men’s sense of grief and helplessness in response to woman’s abortion.