Patrícia Galvão publica edital para financiamento de reportagens pró-aborto no Brasil

Patrícia Galvão publica edital para financiamento de reportagens pró-aborto no Brasil

22/03/2018 0 Por Cristian Derosa

Edital publicado pelo Instituto Patrícia Galvão oferece financiamento de 10 mil reais para cinco reportagens que tratem do tema do aborto sob o ponto de vista favorável à legalização, com o objetivo de aumentar ainda mais a presença do tema na mídia.

A iniciativa vem de poderosas fundações e entidades internacionais que por meio do Instituto Patrícia Galvão investem milhões de dólares por ano para a propaganda de suas ideias e pautas de interesse internacional, especialmente em países em desenvolvimento. Os parceiros financiadores interessados são as entidades: Fundação Ford, International Planned Parenthood (IPPF), Instituto Rosa Luxemburgo, além do IBOPE, Instituto Avon, Mary Kay, TV Cultura e Rede Globo de Televisão, além do Ministério da Saúde e outros órgãos governamentais. Com estes parceiros financiadores, os vencedores do edital certamente terão sua reportagem veiculada com grande abrangência pelo país e pelo mundo.

Adquira já a segunda edição da Revista Estudos Nacionais!

A Planned Parenthood (IPPF), por exemplo, fundada pela eugenista Margaret Sanger (1879-1966), que defendia o abortamento de negros e moradores dos bairros pobres, está presente em mais de 170 países em sua atuação no campo da “saúde reprodutiva” – recurso eufemístico para aborto. A Planned Parenthood ficou conhecida em 2015 devido um escândalo internacional no qual foram divulgadas gravações em que membros do grupo vendiam clandestinamente órgãos de fetos abortados.

Mas nem todas são abertamente pró-aborto. Algumas se escondem sob belos disfarces, como no caso da empresa Mary Kay, cuja proprietária se diz cristã e declarou em entrevista ter “Deus como sócio”.

Objetivo do edital é ampliar ainda mais o tema na mídia, por meio de teorias como Agenda Setting utilizadas como técnicas de convencimento social. O Agenda Setting, ou agendamento, compõe-se de uma estrutura persuasiva baseada em uma fase de tópico ou objeto e seguida dos atributos associados ao tema. A presença constante do tema na mídia corresponde ao uso da teoria conforme a famosa observação do sociólogo Bernard Cohen de que os meios de comunicação não são capazes de determinar como pensar as coisas, mas podem eficientemente dizer no quê pensar. A exploração da presença do tema é, portanto, porta inicial para a sua atribuição de juízo.

Jacira Melo, diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, reforça a importância da mídia para fomentar o tema:

A mídia desempenha um papel crucial na percepção que a sociedade tem sobre o aborto, e este edital busca incentivar reportagens baseadas em evidências e histórias que nos ajudem a olhar para este tema com a seriedade que ele requer, afirma.

Dirigido a jornalistas profissionais com todos os níveis de experiência, o edital chamado Jornalismo Investigativo em Direitos Humanos, Aborto e Saúde Pública conta com apoio institucional da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e da Global Health Strategies Brasil (GHS). O jornalismo investigativo da Abraji, como sempre, apenas investiga o que interessa. Afinal, a entidade brasileira é parceira inseparável da Open Society Foundation, do bilionário George Soros, que recentemente declarou que a liberdade na internet é uma ameaça à democracia.

Outro apoiador da iniciativa do Edital é a Global Health Strategies Brasil (GHS), uma entidade internacional que tem como bandeira a “comunicação e advocay para mudar o mundo”, financiando e promovendo iniciativas semelhantes para modificação da percepção social sobre temas de interesse dos seus financiadores. Aliado à ONU Mulheres, ao Fundo de População da ONU e à Global Fund for Women, o grupo financia ações sob a bandeira da “igualdade de direitos”, da saúde reprodutiva e sexual, apoiando a ampliação da educação sexual com o aporte teórico das teorias de gênero, (ideologia de gênero), financiando ONGs e movimentos LGBT por todo o mundo.

Lista dos apoiadores do Instituto Patrícia Galvão (ou veja o print do site oficial):

Agências das Nações Unidas
ONU Mulheres Brasil
UNFPA – Fundo de População das Nações Unidas

Instituições internacionais
Fundação Ford
Global Fund for Women
IPPF – International Planned Parenthood Federation
IWHC – International Women’s Health Coalition
Fundação Rosa Luxemburgo

Governo brasileiro
Ministério da Saúde
SPM – Secretaria de Políticas para as Mulheres do Ministério de Direitos Humanos

Instituições e empresas brasileiras
Ashoka Empreendedores Sociais
Data Popular
Ibope
Instituto Avon
Locomotiva Instituto de Pesquisa
MacKinsey&Company
Mary Kay
TV Cultura/Cultura Data

Outros parceiros já apoiaram projetos específicos do Instituto:
CCR – Comissão de Cidadania e Reprodução 
O2 Filmes
Rede Globo de Televisão