Ambos os lados concordam: aborto causa danos para saúde psicológica das mulheres

Ambos os lados concordam: aborto causa danos para saúde psicológica das mulheres

06/11/2018 0 Por Marlon

Pesquisadores de ambos os lados, pró-escolhas e pró-vidas, concordam que a experiência de um aborto provoca  efeitos negativos na saúde mental em uma parcela significativa das mulheres. Isso foi o que demonstrou uma grande revisão de artigos científicos da área médica sobre saúde mental das mulheres e aborto, publicada no SAGE Open Medicine.
Como destaca o Elliot Institute, não cabe mais argumentar sobre eventual divergência no que se refere ao entendimento de que o aborto provoca prejuízos para a saúde das mulheres. A experiência pode iniciar traumas e piorar traumas existentes.

Aqui no Brasil não é diferente. Frequentemente são encontradas pesquisas científicas, feitas por partidários da legalização do aborto, que confirmam que o aborto provoca sim um devastador efeito na saúde psicológica das mulheres.

Notícias falsas e ciência fake a serviço da indústria do aborto

Com mais essa publicação fica evidente que a matéria da Super Interessante de fevereiro de 2018 que trouxe no título “Estudo derruba o mito: aborto não aumenta risco de depressão” não passa de uma fake news devidamente baseada em uma fake science.

O artigo que “justifica” a matéria da Super Interessante tem como principal autora a pesquisadora Anu Manchikanti Gomes, que trabalha para instituições de pesquisa ligadas com a indústria do abortamento.  Tanto o Solars quanto o projeto Preterm Birth Initiative, que a pesquisadora diz estar ligada, são da UCSF (Universidade da Califórnia), vinculada ao centro de pesquisa Bixby (que já demonstramos em outros artigos), não passa de uma célula de pesquisa financiada por clínicas de aborto, pela FIGO, IPPF, Conselho Populacional e diversas OnGs pró-aborto e fundações internacionais, tendo mais de 100 pesquisadores contratados, pagos por essas organizações, para produzir pesquisas que favoreçam a causa do aborto livre em todo o mundo.

A pesquisadora Anu M. Gómez também trabalha em projetos financiados pelo Family Planning Research Fund (Fundo de Pesquisa sobre Planejamento Familiar). Sua atuação favorável à agenda pró-planejamento familiar e controle populacional lhe rendeu o prêmio “120 maiores líderes de planejamento familiar“, em 2017. A organização que lhe conferiu o prêmio 120under40 destaca sua atuação em prol da causa do aborto, saúde de transsexuais, gênero entre outras áreas.

Ela também ocupa cargo de Diretoria no NWHN (National Women’s Health Network). A ONG recebe doações da Planned Parenthood Action Fund, Fundação Ford, fundos feministas, National Abortion Funds, W.K. Keellog Foundation,  além de doadores anônimos e individuais.

Como se não bastasse, para reforçar a suspeita de conflito de interesses com tantas organizações, ela também é membro da diretoria da ONG IBIS, que é uma das ONGs que mais investe em escala mundial para a promoção da pauta do aborto e conta com os mesmos tradicionais financiadores.

Fake Science e conflito de interesses

Não se trata de demonizar um pesquisador ou outro. Esse breve artigo é um esforço complementar do que foi feito no capítulo 3 do livro Precisamos falar sobre aborto: mitos e verdades, onde demonstramos tanto as fragilidades de algumas pesquisas científicas usadas pela militância pró-aborto, quanto as relações dos pesquisadores e centros de pesquisa com a indústria do aborto internacional. Essa investigação tem objetivo de analisar o porquê de tanta parcialidade, em que todas as publicações de determinados autores ressaltam os mais diversos benefícios do acesso ao aborto, bem como atenuam males e efeitos adversos, sendo a base argumentativa do debate legalização do aborto aqui no Brasil e em outros países.


Referências:

Berkley Social Welfare. Anu M. Gómez, assistant Professor. Disponível em <https://socialwelfare.berkeley.edu/faculty/anu-manchikanti-gomez>.

Derosa, M. 18 set. 2018. [Estudos Nacionais] Podemos confiar em pesquisas pagas por clínicas de aborto? Disponível em http://estudosnacionais.com/ciencia/podemos-confiar-em-pesquisas-pagas-por-clinicas-de-aborto/

IBIS Reproductive Health – Funders. Disponível em <https://ibisreproductivehealth.org/funders>

Reardon, D. 2018. The abortion and mental health controversy: A comprehensive literature review of common ground agreements, disagreements, actionable recommendations, and research opportunities.  http://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2050312118807624

Bixby Center – UCSF. Programs and Partners. [Descreve programas e financiadores do centro de pesquisa]. Disponível em https://bixbycenter.ucsf.edu/programs-and-partners

Leonardi, A.C. 27 fev. 2018. [Super Interessante] Estudo derruba o mito: aborto não aumenta risco de depressão. Disponível em <https://super.abril.com.br/saude/estudo-derruba-o-mito-aborto-nao-aumenta-risco-de-depressao/>.

NWHN – Relatório financeiro 2015 * https://www.nwhn.org/wp-content/uploads/2015/06/NWHN15_AR_F2.pdf

NWHN – Relatórios financeiros – https://nwhn.org/annual_reports_financial_reports/

Prêmio 120under40. Disponível em https://www.120under40.org/nominee/anu-manchikanti-gomez

UCSF – Parcerias de pesquisa abortistas – https://www.ucsf.edu/about/research-partnerships#global-partnerships

UCSF e Bixby – Página About us da Universidade da Califórnia (projeto Bixby Center)