nicolas maduro socialista venezuela

Venezuela recusa diálogo e libertação de presos políticos

“A Venezuela viola todos os artigos da Carta Democrática Interamericana”, diz secretário geral da OEA.

CARACAS – O Governo da Venezuela rejeitou as recomendações feitas pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro,  de libertação de presos políticos e o respeito a diretrizes dos direitos humanos.

O secretário informou,  nesta terça-feira (14/03),  a possibilidade do país ser suspenso da entidade caso o governo bolivariano não realize eleições gerais o “mais breve possível” e atenda a outras recomendações.

Desde novembro de 2016, a organização internacional que tem sede em Washington solicitou ao governo socialista de Nicolás Maduro a adoção de medidas e correções que não contrariem os direitos humanos, visando restaurar a democracia no país. Dentre elas destaca-se o direito a eleições e o fim da perseguição a dissidentes políticos.

As recomendações não foram atendidas, especialmente as que exigiam a libertação de presos políticos, respeitando o devido processo e os direitos humanos.

Frente às recomendações, o governo informou apenas que “tomou nota”.

“Os esforços diplomáticos não resultaram em qualquer progresso. Repetidas tentativas de diálogo fracassaram e os cidadãos da Venezuela perderam ainda mais fé em seu governo e no processo democrático”, disse Almagro.

Para que a Venezuela seja suspensa, dois terços dos 34 países que integram a OEA devem votar a favor da medida

Esse tipo de recomendação vem sendo feita para a Venezuela há muitos anos. Em 2011 o governo socialista havia rejeitado diversas recomendações nesse mesmo sentido, que atentavam contra os Direitos Humanos.

Fontes:
Agência Reuters Brasil

El Nacional

Pesquisador independente e tradutor, escreve e coordena pesquisas para o site EstudosNacionais.com. Desenvolve projetos editoriais na editora Estudos Nacionais e Livraria Pius.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta